Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil com 55% dos votos válidos

Diferença superou os 10 milhões de votos e apoiadores se reuniram em cidades do país; Doria foi eleito em SP, Zema em MG e Witzel no RJ

São Paulo – Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente do Brasil neste domingo.

Com 99,9% das urnas apuradas, ele tinha 55,13% dos votos válidos contra 44,87% de Fernando Haddad (PT). A diferença superou os 10 milhões de votos.

O presidente eleito deu dois tons diferentes às suas primeiras manifestações como presidente eleito: em sua primeira fala, ao vivo nas redes sociais, ele criticou a mídia e opositores; em seu discurso posterior em rede nacional, prometeu um governo constitucional, fez referências religiosas e acenos ao mercado.

A eleição nos estados confirmou as previsões, com João Doria (PSDB) eleito em São Paulo, Romeu Zema (Novo) eleito em Minas Gerais (Novo) e Wilson Witzel (PSC) eleito no Rio de Janeiro.

Bolsonaro teve apoio explícito de 15 dos 27 governadores eleitos; todos os nove governadores eleitos no Nordeste apoiaram Haddad e a região foi a única onde o petista venceu a eleição.

Veja como foi a cobertura ao vivo de EXAME:

0h25 – Kátia Abreu, vice de Ciro, responsabiliza PT por vitória de Bolsonaro

Candidata à vice-presidência na chapa de Ciro Gomes (PDT) no primeiro turno, a senadora tocantinense Kátia Abreu (PDT) usou o Twitter para apontar a estratégia do PT como responsável pela eleição de Bolsonaro:

“PT deve soltar foguete minha gente. Elegeram Bolsonaro. Bolsonaro candidato dos petistas. Vocês escolheram o candidato que chamam de fascista. Sabiam desde agosto que não ganhavam do capitão”


0h23 – Boulos: “Povo sem medo” vai às ruas na próxima terça-feira

Após a confirmação da eleição de Bolsonaro, o candidato do PSOL no primeiro turno, Guilherme Boulos, afirmou que as “nuvens cinzentas de intolerância e de violência” que ele diz serem trazidos pelo candidato eleito “vão passar mais cedo do que muitos imaginam”.

“Já na próxima terça-feira o povo sem medo vai às ruas de várias cidades do País para afirmar nosso compromisso com a democracia e com nossos direitos”, prometeu o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em vídeo publicado em sua conta no Twitter.


23h45 – Veja a íntegra do discurso de Bolsonaro em rede nacional

Jair Bolsonaro (PSL) deu dois tons diferentes às suas primeiras manifestações como presidente eleito.

Em sua primeira fala, ao vivo nas redes sociais e acompanhado da esposa Michelle e de uma intérprete em libras, ele criticou a mídia e opositores.

Em seu discurso em rede nacional, Bolsonaro enfatizou o conceito de “liberdade”, fez uma série de referências religiosas e prometeu um governo constitucional.


23h42 – Human Rights Watch mostra preocupação com eleição de Bolsonaro

A organização internacional Human Rights Watch, que monitora os direitos humanos em todo o mundo, mostrou preocupação com a eleição de Jair Bolsonaro (PSL).

A organização lembrou aspectos da sua história política, como a defesa da tortura, assim como os casos de violência na eleição vindos de seus apoiadores e que vitimaram negros, gays e transsexuais.

“O Brasil tem juízes independentes, procuradores comprometidos, defensores públicos, repórteres corajosos e uma sociedade civil vibrante. Nós nos juntaremos a eles para se posicionar contra qualquer tentativa de erodir as instituições de direito e democráticas no Brasil, que o país, a custo de muita dor, conseguiu construir nas últimas três décadas”, disse Miguel Vivanco, diretor do HRW para a América.


23h16 – Paulo Guedes, provável ministro da Fazenda, repete promessa de zerar déficit em um ano

O economista Paulo Guedes, que comandará o Ministério da Fazenda no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, disse que a reforma da Previdência é prioridade e que buscará zerar o déficit fiscal em um ano.

A proposta é vista como inviável por economistas: a previsão é que o déficit seja de 139 bilhões de reais no ano que vem.


23h09 – Rosa Weber, presidente do TSE, diz que processos terão julgamento rápido

Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que a Justiça Eleitoral vai julgar com “celeridade” as ações contra as campanhas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) que buscam tornar os candidatos inelegíveis e até cassar os registros de suas candidaturas.


23h01 – Doria fala em “pacificar o Brasil” em primeiro discurso após eleito

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), adotou um tom de conciliação em seu discurso de vitória.

O tucano disse que “é hora de pacificar o Brasil” e que será “governador para todos, os que me elegeram e os que não me elegeram”.

Ele disse que recebeu telefonema dos candidatos derrotados Márcio França (PSB), atual governador e seu concorrente no segundo turno, e Paulo Skaf (MDB).

Doria também agradeceu ao ex-governador Geraldo Alckmin e ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ressaltou que não sairá do PSDB. “Estou no PSDB desde 2001, não sou filiado de ocasião.”


22h47 – Haddad visitará Lula essa semana; aliados criticam postura de Ciro Gomes

O candidato derrotado Fernando Haddad (PT) deve visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão, em Curitiba, ainda nesta semana. A visita está prevista para ocorrer na terça ou na quarta-feira.

Aliados de Haddad estão criticando Ciro Gomes (PDT), que ficou em terceiro lugar, pela falta de apoio no segundo turno e pela postura “egocêntrica” de olho na eleição de 2022.


22h15 – Carlos Pereira, da FGV: derrota “saiu barata para o PT”

Em entrevista para EXAME, o professor da FGV, Carlos Pereira, disse ter “plena confiança de que Bolsonaro vai se submeter ao jogo democrático”.

Ele acredita que as crises econômicas e políticas nos últimos governos petistas geraram um desconforto que Bolsonaro soube identificar esse desconforto: “O grande gestor do Bolsonaro é o PT.”


21h55 – Investidores esperam mais clareza do presidente eleito

Analistas ouvidos por EXAME apostam que haverá um fluxo maior de investidores estrangeiros comprando ações brasileiras, mas que o desempenho da bolsa dependerá dos próximos movimentos.

Ainda não há clareza sobre detalhes do plano econômico, da equipe e de como será a relação com o Congresso.


21h50 – Ruas brasileiras têm manifestações a favor e contra Bolsonaro

Apoiadores e opositores de Jair Bolsonaro (PSL) reagiram ao resultado da eleição neste domingo nas ruas ao redor do país.

No Rio de Janeiro, fogos de artifício foram disparados e os eleitores cantaram o hino nacional; em São Paulo, houve confusão entre manifestantes a favor e contra Bolsonaro na Avenida Paulista. Veja as fotos.


21h40 – Sérgio Vale, da MB Associados: “serão anos difíceis na economia”

O economista-chefe da MB Associados prevê que o governo Bolsonaro terá avanço da agenda econômica em alguns pontos, como abertura comercial e reformas microeconômica, mas com desafios em pautas mais complexas e impopulares, como a reforma da Previdência.


21h36 – Veja a lista completa dos governadores eleitos

As eleições deste domingo definiram os governadores de 13 estados e do Distrito Federal. Veja a lista:

Amapá: Waldez Góes (PDT)

Amazonas: Wilson Lima (PSC)

Distrito Federal: Ibaneis (MDB)

Mato Grosso do Sul: Reinaldo Azambuja (PSDB)

Minas Gerais: Romeu Zema (Novo)

Pará: Helder Barbalho (MDB)

Rio de Janeiro: Wilson Witzel (PSC)

Rio Grande do Norte: Fatima Bezerra (PT)

Rio Grande do Sul: Eduardo Leite (PSDB)

Rondônia: Coronel Marcos Rocha (PSL)

Roraima: Antonio Denarium (PSL)

Santa Catarina: Comandante Moisés (PSL)

São Paulo: João Doria (PSDB)

Sergipe: Belivaldo (PSD)


21h27 – Lucas Aragão, da Arko: “governabilidade é fácil de criar e difícil de manter”

Em entrevista para EXAME, o analista político Lucas Aragão, da consultoria Arko Advice, enxerga uma vitória contundente de Bolsonaro, mas longe de ser uma “goleada”.

Ele acredita que o governo passa uma reforma da Previdência, mas não tudo que quiser: “A postura pouco ortodoxa na campanha pode funcionar com o eleitorado, mas não vai funcionar na Câmara e no Senado.”


21h22 – Bolsonaro diz que Trump o ligou para desejar boa sorte

Ao vivo no Facebook, o presidente eleito Jair Bolsonaro disse que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acabou de ligar e desejar boa sorte.

Ele também disse que “a família estará em primeiro lugar no Ministério da Educação”.


21h08 – Antonio Denarium (PSL) é eleito governador em Roraima

Com 93,94% dos votos apurados, Antonio Denarium (PSL) está matematicamente eleito governador de Roraima com 53,50% dos votos válidos contra 46,50% do ex-governador José Anchieta (PSDB).

Ele tem a restrição aos imigrantes venezuelanos como bandeira e chegou a pedir o fechamento da fronteira.


20h59 – Mídia internacional repercute vitória de Bolsonaro

Veículos internacionais repercutiram o resultado da eleição brasileira na noite deste domingo.

A revista alemã Spiegel disse que ele representa uma “mudança radical” na política do país, enquanto o New York Times e o Washington Post destacaram que Brasil entrou na extrema-direita.

A CNN disse que a vitória de Bolsonaro encerra uma das campanhas políticas mais polarizadoras e violentas da história do Brasil, enquanto o jornal argentino Clarín destacou que o “capitão chegou às eleições com uma fórmula totalmente militar”.


20h46 – Partido de Bolsonaro ainda precisa achar sua identidade

O PSL se consolidou nesta eleição como uma das principais forças políticas do país: em 2019, o partido terá 52 deputados, 4 senadores e 3 governadores.

Sua identidade, bandeiras e orientação em relação às reformas econômicas, no entanto, ainda está em aberto, segundo analistas e membros do próprio partido.

“O PSL é uma ameba”, disse a EXAME o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança, eleito deputado-federal pela legenda.


20h37 – Bolívar Lamounier classifica vitória como “esmagadora”

Em entrevista para EXAME, o cientista político Bolívar Lamounier, da Augurium Consultoria, disse que “poucas vezes na história democrática brasileira tivemos uma vitória tão acachapante de um grupo político em tantos pontos centrais do país”.

Ele disse que “a sociedade está ansiosa para voltar à normalidade” e que “focando nos desafios da economia”, o presidente eleito poderá superar a polarização atual.


20h34 – Presidente Michel Temer parabeniza Bolsonaro

O presidente Michel Temer disse pelo Twitter que parabenizou Bolsonaro pela eleição deste domingo e que agora é hora de “de todos unidos, continuarmos a trabalhar pelo Brasil”.


20h12 – Bolsonaro e Haddad fazem pronunciamentos

Em seu primeiro pronunciamento após a vitória, feito ao lado da sua esposa Michelle, Bolsonaro falou em tom solene e fez referências religiosas:

“Juntos vamos mudar o destino do Brasil”, declarou. “Não podemos continuar flertando com o socialismo, o comunismo, o populismo e o extremismo de esquerda”, acrescentou.

Ele também ressaltou que seu governo será “constitucional e democrático e trabalhará para recuperar” o “respeito internacional” pelo Brasil.

Fernando Haddad (PT), ao lado da sua esposa Ana Estela e da sua vice Manuela D’Ávila, citou a mobilização da última semana e a preservação de direitos:

“Vivemos um período já longo em que as instituições são colocadas a prova em todo instante”, citando o impeachment em 2016 e a prisão “injusta” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele disse que a democracia “é um valor que está acima de todos nós”.


19h52 – Toffoli: “Em nenhum país temos uma eleição tão tranquila como aqui”

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli, classificou as eleições brasileiras como as mais transparentes e seguras do mundo.

A afirmação do ministro foi feita durante uma reunião no Centro Integrado de Comando e Controle (CICCN) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) acompanhado do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.


19h49 – Amazonas e Mato Grosso do Sul tem governadores eleitos

Com 83% das urnas apuradas, o candidato Wilson Lima (PSC) está matematicamente eleito governador do Amazonas, com 60,15% dos votos válidos. Amazonino Mendes (PDT) ficou com 39,85%.

Reinaldo Azambuja (PSDB) foi reeleito governador de Mato Grosso do Sul com 52,31% dos votos válidos contra 47,65% de Juiz Odilon (PDT).


19h36 – João Doria (PSDB) é eleito governador em São Paulo

Com 98,49% das urnas apuradas, João Doria (PSDB) está eleito governador de São Paulo com 51,77% dos votos válidos contra 48,23% de Márcio França (PSB).


19h30 – Marcos Rocha (PSL) é eleito governador de Rondônia

Com 87,01% das urnas apuradas, o Coronel Marcos Rocha (PSL) venceu as eleições em Rondônia com 65,95% dos votos válidos contra 34,05% de Expedito Junior (PSDB).


19h10 – Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pará tem governadores eleitos

Com 96,04% das urnas apuradas, o juiz Wilson Witzel (PSC) é o novo governador do Rio de Janeiro. Ele tem 59,66% dos votos válidos contra 40,34% do seu adversário Eduardo Paes (DEM).

No Rio Grande do Sul, com 97,17% das urnas apuradas, Eduardo Leite (PSDB) foi eleito com 53,40% dos votos, contra 46,60% para seu adversário, José Ivo Sartori (MDB).

No Pará, o governador eleito é Helder Barbalho (MDB), filho de Jader Barbalho. Com 92,17% das urnas apuradas, ele tem 55,22% dos votos válidos contra 44,78% de seu adversário Marcio Miranda (DEM).


19h02 – Boca de urna do Ibope indica Bolsonaro com 56% dos votos válidos

A pesquisa Ibope de boca de urna deste domingo (28) indica que Jair Bolsonaro (PSL) tem 56% dos votos válidos contra 44% de Fernando Haddad (PT).


18h52 – Romeu Zema se torna o primeiro governador eleito do Partido Novo

Romeu Zema já está eleito governador de Minas Gerais. Com 83,32% das urnas apuradas, ele tem 71,58% dos votos válidos.

Zema era um candidato praticamente desconhecido dos eleitores, mas ganhou votos na campanha do primeiro turno, depois de conseguir atrelar seu nome ao do candidato epública Jair Bolsonaro (PSL).


18h47 -Waldez é eleito governador do Amapá

Com 96,81% das urnas apuradas, Waldez, do PDT, está eleito governador do Amapá com 52,32% dos votos válidos.


18h40 – Bruno Covas, prefeito de São Paulo, anula voto para presidente

Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo, disse ter anulado seu voto para presidente: “Como militante, não me senti representado por nenhuma das duas candidaturas”, afirmou de acordo com o UOL.

O PSDB não apoiou oficialmente nenhum dos candidatos, mas João Doria, candidato ao governo de São Paulo do partido, declarou apoio a Jair Bolsonaro (PSL).

Covas era o vice-prefeito de Doria e assumiu a prefeitura quando ele abandonou seu mandato para disputar o governo.


18h36 – Rio Grande do Norte e Santa Catarina já tem governadores eleitos

Com 91,31% das urnas apuradas, Fátima Bezerra (PT) já está eleita governadora do Rio Grande do Norte.

Em Santa Catarina, com 74,44% das urnas apuradas, Comandante Moisés (PSL) já está eleito com 71,03% dos votos contra 28,97% do atual deputado Gelson Merísio (PSD).


18h35 – Resultado em São Paulo deve ser conhecido por volta de 19h30

O estado de São Paulo deve conhecer o resultado da disputa de governador por volta das 19h30, de acordo com estimativa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo.


18h32 – Belivaldo Chagas (PSD) é eleito governador em Sergipe

Com 85,61% das urnas apuradas, Belivaldo Chagas (PSD) já está eleito governador em Sergipe com 64,36% dos votos.

Seu adversário era Valadares Filho (PSB), que recebeu 35,64% dos votos. Votos brancos representaram 2,76% do total e nulos, 14,08%.


18h20 – Contagem extraoficial traz resultados no exterior

O resultado da contagem de votos nas eleições 2018 em alguns países do exterior já é conhecido através da contabilização extraoficial, baseada nos extratos emitidos pelas seções.

Jair Bolsonaro (PSL) ganhou com 61,38% dos votos no Reino Unido e 58,4% dos votos na Suíça, enquanto Fernando Haddad ganhou com 69,54% dos votos na França.


18h05 – Os momentos que marcaram a eleição

Quando a história da eleição presidencial de 2018 for recontada, quais serão os momentos mais lembrados? Veja uma linha do tempo.


17h42 – Segundo turno tem primeiro governador eleito

Ibaneis Rocha (MDB) está eleito governador do Distrito Federal. Com 88,27% das urnas apuradas, eles tem 70,20% dos votos válidos.


17h08 – Ibope divulga boca de urna para governos estaduais

Em São Paulo, o candidato João Doria (PSDB) tem 52% dos votos válidos, enquanto Marcio França (PSB) ficou com 48%. 

No Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) tem 55% dos votos válidos, segundo os números do Ibope, contra 45% de Eduardo Paes (DEM).

Em Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO) aparece com 66% dos votos válidos enquanto Antonio Anastasia (PSDB) tem 34%.

No Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) tem 52% dos votos válidos contra 48% de José Ivo Sartori (MDB).

Já no Distrito Federal, Ibaneis (MDB) tem 69% dos votos válidos enquanto Rodrigo Rollemberg (PSB) ficou com 31%.


16h53 – Paulo Guedes admite montagem de novo governo

Segundo Guedes, movimento começa já amanhã, na ocasião da vitória. Disse, ainda, que estará com Bolsonaro no fim da tarde, durante a apuração.


15h37 – Leite tenta ser o governador mais jovem do RS após redemocratização

Com 33 anos, Eduardo Leite (PSDB) é formado em direito pela Universidade Federal de Pelotas, sua cidade natal. Seu gosto pela política, segundo ele, vem “desde pequeno”: foi presidente de grêmio estudantil e seu pai é fundador do PSDB no município. Conheça o candidato ao governo do Rio Grande do Sul.


15h27 – Os programas de governo dos candidatos

Conhece as propostas para saúde? Para educação? Para economia? Veja aqui os programas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) na íntegra.


15h08 – Vereadora do PSL é presa suspeita de comprar votos para Haddad

A vereadora Josefa Eliana da Silva Bezerra, do PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, foi presa em flagrante, no início da tarde deste domingo, 28, em Santana do Ipanema, município a 206 km de Maceió, distribuindo lanches e brindes a eleitores com adesivos do candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT). 


15h04 – “Efeito Bolsonaro” pode eleger 11 governadoras

Levantamento feito com base nas mais recentes sondagens divulgadas pelo Ibope mostra que das 14 unidades da federação onde a disputa se estendeu ao segundo turno apenas em três os candidatos que lideram não receberam apoio ou declararam voto no deputado.


14h34 – Que horas começa a apuração de votos?

A divulgação da apuração dos votos para Presidente da República nas eleições 2018 somente terá início às 19h do horário de Brasília. O horário equivale ao encerramento da votação no Acre, às 17h do horário local.


14h20 – Ciro Gomes: “Não quero fazer campanha para o PT”

Segundo o pedetista, o posicionamento já havia sido tomado desde o começo. Questionado sobre sua ausência no segundo turno, Ciro rebateu: “A quem que eu estou devendo essa presença? Estou devendo ao PT?”


14h19 – FHC tem palavras duras para os dois candidatos

Sem declarar seu voto no segundo turno da disputa presidencial, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou mensagem neste domingo no Twitter defendendo que a maioria respeite a minoria e aceite a diversidade, e ressaltou que qualquer que seja o ganhador da corrida ao Palácio do Planalto os problemas a serem resolvidos serão iguais.


14h10 – Eleitores do Mercosul estão polarizados

A exemplo do que ocorreu em vários locais do Brasil, os eleitores que moram na Argentina também adotaram o estilo de seus candidatos. De forma pacífica, os apoiadores de Haddad levaram livro, enquanto os de Bolsonaro foram vestidos de verde e amarelo.


14h00 – Como uma eleição pode mudar o que uma sociedade considera aceitável

Em entrevista a EXAME, o brasileiro Leonardo Bursztyn, de 35 anos, PhD em Harvard e professor assistente da Universidade de Chicago, a meca do liberalismo econômico mundial, falou sobre a transformação da divergência política, central a qualquer democracia, em intolerância e violência de fato. 


13h51 – Escola em Sorocaba é atacada; urnas são destruídas

A suspeita é que o local tenha sido invadido na madrugada, e o caso está sob investigação policial. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), a ação foi descoberta pelos mesários que perceberam os cabos dos equipamentos cortados.


13h30 – O que Haddad e Bolsonaro podem fazer pela economia?

Com o que se sabe hoje, dá para afirmar que um candidato seria inequivocamente melhor do que o outro na economia? Mais do que isso: Bolsonaro e Haddad têm condições de resolver os graves problemas que pressionam as previsões do produto interno bruto e fazer o país voltar a crescer? EXAME fez essas perguntas a 18 dos principais economistas do país — alguns ex-ministros e ex-secretários de governo. 


13h28 – França comemora empate numérico com Doria

“Acho que São Paulo vai dar um recado firme em direção à verdade e também à união”, afirmou. Pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada ontem (27) mostrou que o governador subiu três pontos na reta final da campanha e empatou numericamente com João Doria (PSDB). Ambos têm 50% dos votos válidos, segundo o levantamento.


12h59 – Com Bolsonaro ou Haddad, Brasil volta ao passado

Os brasileiros colocaram para si a escolha entre candidaturas que, de modo diferente, olham para trás.

Enquanto o capitão reformado diz que o objetivo de seu provável governo seria tornar “o Brasil semelhante àquele que tínhamos há 40, 50 anos atrás” na questão da segurança, o tom da campanha petista tenta com o slogan “O Brasil feliz de novo” colar sua proposta às conquistas de governos petistas, especialmente nos mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva. 


12h38 – Votação no exterior está encerrada

Os 500 mil eleitores que estão aptos a votar fora do país em 99 nações votaram somente para presidente da República. O resultado da votação no exterior será divulgado somente após o término da votação no Brasil.


12h24 – 2º turno acontece em clima de tranquilidade

A presidente da missão de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) para as eleições brasileiras, Laura Chinchilla, disse hoje (28) que, até o momento, o segundo turno tem transcorrido com “muita normalidade” e que a equipe não foi informada de nenhuma ocorrência relacionada a agressões contra eleitores nem irregularidades.


12h15 – “Assim como na Venezuela, o centro foi extirpado do Brasil”, diz Peter Hakim

Um dos maiores especialistas em política externa na América Latina e fundador do think tank The Dialogue, Peter Hakim falou a EXAME sobre o contexto político pós-2016 e a corrida eleitoral em 2018.

“A eleição deste ano dificilmente resultará em um presidente ou governo que terá a autoridade, credibilidade e competência necessárias para confrontar as múltiplas crises que o país enfrenta. Essa é a revelação mais cruel que a campanha e o primeiro turno trouxeram“, avaliou.


12h09 – Mesário infarta e morre em zona eleitoral

O mesário João Carlos Félix, de 50 anos, que prestava serviço ao órgão na 156ª zona eleitoral, localizada no Centro Federal de Educação Tecnológica de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. A diretora-geral do TRE-RJ, Adriana Brandão, lamentou a morte e se solidarizou com a família dele.


11h57 – Doente, candidato ao governo, Márcio França, vota

O candidato à reeleição ao governo de São Paulo, Márcio França (PSB), votou hoje (28) em uma escola no bairro de Itaim Bibi, na capital. Acompanhado da esposa, ele disse que se recupera bem de uma pneumonia diagnosticada ontem. “Estou me sentindo bem, comendo normalmente”, afirmou.

As últimas pesquisas de intenção de voto mostraram pela primeira vez França à frente de Doria na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. 


11H41 – Balanço do TSE

Nesta manhã, país teve 912 substituições de urnas eletrônicas que apresentaram defeito. Segundo o tribunal, o número representa 0,17% do total de 454,4 mil urnas utilizadas no pleito deste ano. Até o momento, não foram registrados locais com votação manual.


11h26 – Haddad vota em São Paulo e faz sinal da vitória

Desta vez, o vermelho, cor de seu partido, não apareceu e o candidato usou a cor azul. Na parte de fora do prédio da Brazilian Internacional School, em Indianópolis, eleitores ouviam a música Alerta, Desperta, ainda Cabe Sonhar e seguravam rosas e livros.


11h05 – Roqueiro Roger Water desafia Justiça brasileira em Curitiba

Músico fez mais um show no Brasil, agora em Curitiba. Ele foi advertido pela Justiça Eleitoral do Paraná sobre manifestações políticas em seu show após as 22 horas de sábado. Mas Waters, que perdeu o pai para o nazismo durante a Segunda Guerra Mundial, lançou sua mensagem ainda assim.


10h49 – Saiba como denunciar um crime eleitoral

No Twitter, o Tribunal Superior Eleitoral ensina como um cidadão pode reportar um crime eleitoral às autoridades. Veja abaixo:


10h45 – Ida de João Doria às urnas tem “Bolsodoria” e saia justa

O candidato ao governo do estado de SP, João Doria (PSDB), chegou acompanhado de nomes como o prefeito Bruno Covas, o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), a deputada eleita do PSL Joice Hasselmann e a senadora eleita Mara Gabrilli (PSDB). 

O ex-prefeito disse que tem o apoio do “PSL verde amarelo”, mas enfrentou uma saia justa quando a senadora eleita Mara Gabrili foi questionada sobre seu voto para presidente. “Voto no João Doria”, disse ela, sem se manifestar diretamente sobre Bolsonaro. 


10h39 – Candidato ao governo, Wilson Witzel vota no RJ

Nos últimos dias de campanha, Witzel perdeu espaço para o adversário Eduardo Paes (DEM), segundo as pesquisas. Embora não tenha recebido o apoio do candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, Witzel disse preferir que, caso saia vitorioso, governe ao lado do candidato à presidência. “Independentemente disso, nosso projeto é de reestruturação da economia do Estado”, disse.


10h16 – Urna eletrônica é a mais segura do mundo, diz TSE

Uma hora antes de as seções eleitorais serem abertas neste domingo para votação, a Justiça Federal adotou em Brasília mais um procedimento para deixar claro que a urna eletrônica brasileira é “a mais segura e auditada do mundo.”

Chamado de zerésima, esse procedimento consiste na emissão de um documento que atesta não haver votos registrados antes do início da votação e que, portanto, não há alteração no sistema, no código e nas assinaturas digitais da urna.


10h04 – Candidato do PSL, Bolsonaro vota sob forte esquema de segurança

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) votou na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, em Marechal Hermes, zona norte do Rio, por volta das 9h20. Desde que a seção foi aberta, soldados da Polícia do Exército revistavam todas as pessoas que chegavam para votar, inclusive as crianças.


09h56 – No Twitter, TSE na ativa

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está se manifestando ativamente nas redes sociais com dicas para a hora do voto. O Tribunal Regional Eleitoral de SP (TRE-SP) também lembra o que pode e o que não pode fazer.


09h45 – Virada no resultado é possível, mas pouco provável

“Tem um ventinho soprando a favor de Haddad e contra Bolsonaro. Se vai se acelerar na boca da urna, não sabemos. Não dá para dizer que não é possível; possível é, mas pouco provável”, disse o sociólogo e cientista político, Sérgio Abranches.

O estudioso lembrou, ainda, de momentos na história eleitoral brasileira em que movimentos como esse aconteceram. Em 2014, Marina Silva e Aécio Neves disputavam uma vaga para ir para o segundo turno com Dilma Rousseff. Marina era a favorita, porém, Aécio ultrapassou a adversária na votação.


09h33 – Disputa acirrada pelos governos de SP e RJ

Nos dois estados, o resultado final está incerto. Em São Paulo, o DataFolha do último sábado, 27 de outubro, trouxe, pela primeira vez, o empate técnico entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB). Numericamente, França está à frente com 51% dos votos válidos ante 49% do tucano.

Já no Rio de Janeiro, o levantamento mostra o ex-juiz Wilson Witzel (PSC) com 53% das intenções de votos válidos e Eduardo Paes (DEM) com 47%. A diferença entre os dois candidatos diminuiu muito na reta final da campanha: era de 22 pontos percentuais há nove dias, segundo o Datafolha.


09h29 – Geraldo Alckmin (PSDB) abre votação

“Todo poder emana do povo e em nome dele deve ser exercido. Hoje quem fala é o eleitor e nós devemos ouvir”, disse o candidato, sem abrir seus votos aos jornalistas no local.


8h38 — Cruzamento inédito revela como votou cada bairro no 1º turno

Estudo aponta como votou cada vizinhança de São Paulo e também do restante do País no primeiro turno das eleições deste ano.


7h50 — Campanha à presidência termina sem planos detalhados dos candidatos

Há pouca clareza sobre como Jair Bolsonaro (PSL) ou Fernando Haddad (PT) realizarão algumas das promessas em uma eventual gestão. Confira.


7h39 — Tire suas dúvidas sobre ida às urnas no 2º turno da eleição

O eleitor pode levar os números dos candidatos anotados e usar camiseta do candidato no dia da votação? Saiba o que pode e o que não pode na ida às urnas.