Como foram as manifestações de 26/03 em apoio à Lava Jato

MBL e Vem pra Rua, que lideraram protestos pró-impeachment em 2016, fazem manifestações em ao menos 90 cidades pelo Brasil neste domingo, 26 de março

São Paulo – Os movimentos Vem pra Rua e MBL voltam às ruas neste domingo para uma série de manifestações em apoio à operação Lava Jato e repúdio ao foro privilegiado e à proposta de voto em lista fechada que tramita na Câmara dos Deputados. Ao menos 90 cidades farão parte da onda de protestos. Expectativa, contudo, é de que público seja menor do que o mobilizado por esses grupos no ano passado em atos pelo impeachment de Dilma Rousseff.

ACOMPANHE AO VIVO AS MANIFESTAÇÕES DESTE DOMINGO


17h50 – Termina aqui a cobertura ao vivo de EXAME.com sobre as manifestações a favor da Lava Jato pelo país. Até mais!


17h46 – Manifestantes começam a se dispersar na Paulista

O MBL (Movimento Brasil Livre) já desmontou o seu carro de som, e o trânsito de carros na Avenida Paulista será liberado daqui a 15 minutos, de acordo com o jornal “Folha de S. Paulo”.


17h31 – Marcelo Madureira faz discurso em São Paulo

Ao lado de Rogério Chequer, líder do movimento “Vem Pra Rua”, o comediante Marcelo Madureira fala com a multidão em cima de um carro de som na Avenida Paulista.


17h19 – Manifestantes tiram selfie com Ronaldo Caiado em São Paulo

De acordo com o jornal “Folha de S. Paulo”, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) foi assediado por pessoas que participam do ato a favor da operação Lava Jato na Avenida Paulista, em São Paulo. Caiado disse que foi a todas as manifestações, que defende o fim do foro privilegiado e é contrário à lista fechada. Alguns manifestantes tentaram trocar algumas palavras com o senador e tiraram selfies com ele.


17h02 – “Escuta, Brasília!”, diz manifestante ao som de gritos na Paulista 

Em vídeo publicado pelo Facebook, o movimento Vem Pra Rua mostrou uma cena em que a multidão grita e aplaude enquanto uma voz ao microfone diz: “Escuta, Brasília! Escuta Brasília! É a voz do povo!”, na Avenida Paulista, em São Paulo (veja o vídeo abaixo). Segundo o site G1, foram levados seis caminhões entre a rua Joaquim Eugênio de Lima até a Alameda Casa Branca e os manifestantes se espalhavam por quatro quarteirões, mas com grandes espaços vazios onde não havia carros de som.


16h30 – Em Brasília, houve marcha fúnebre e “enterro” da velha política

De acordo com estimativas da Polícia Militar, cerca de 630 pessoas se reuniram na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para protestar contra a corrupção. A manifestação acabou por volta do meio-dia com um “enterro” simbólico do que os presentes chamaram de “velha política”. Imitações de lápides e caixões foram colocados na frente do espelho d’água do Congresso Nacional ao som de uma marcha fúnebre. As lápides tinham fotos de políticos como Fernando Collor, Aécio Neves, Gleisi Hoffmann, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Edison Lobão, Jorge Viana, Rodrigo Maia, Dilma Rousseff e Lula. O ato terminou com o hino nacional.

(Com Agência Brasil)

A página oficial do “Vem Pra Rua” no Facebook publicou uma foto das “lápides”:


16h01 – Organizadores de ato em Goiânia falam em mil participantes

Os responsáveis pela organização da manifestação na capital de Goiás, segundo o site G1, disseram que houve cerca de mil pessoas nas ruas em defesa da Operação Lava Jato e do fim do foro privilegiado, e contra a proposta de eleições em lista fechada. O grupo também se manifestou contra a reforma da Previdência, além de entoar palavras de ordem contra o governo de Michel Temer.

A página oficial do Movimento Brasil Livre (MBL) publicou uma foto da manifestação em Goiânia:


15h33 – Manifestação do MBL no Rio de Janeiro frustrou expectativa da organização

Mais de 150 mil pessoas confirmaram presença no ato organizado pelo MBL hoje na Avenida Atlântica em Copacabana. Porém, no início do evento, por volta das 11h da manhã, a organização falou que a expectativa era receber de 20 mil a 30 mil participantes. A previsão do grupo era começar a concentração às 10h e prosseguir até 14h. Porém, na prática, o protesto durou das 11h às 13h, quando foram encerrados os discursos s nos carros de som. Policiais militares presentes no local não quiseram estimar o número de manifestantes.

Com Estadão Conteúdo


15h02 – Em Recife, “bonecão de Olinda” aparentemente retrata o ministro Barroso

Participantes do ato na capital de Pernambuco carregaram um objeto parecido com os “bonecões” do Carnaval que aparentemente retrata o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro defendeu a proposta de que nas próximas eleições, em 2018, o voto se dê em lista fechada, na qual o eleitor vota na legenda e não em um candidato específico. A vantagem do sistema, segundo ele, é que o eleitor pode analisar o “pacote completo”. O voto em lista fechada é, justamente, alvo de crítica e rechaço pelos manifestantes de hoje.


14h31 – “Pensaram que nós só éramos contra o PT”, diz Fernando Holiday

Líderes do MBL (Movimento Brasil Livre) discursam em cima de um carro de som na Avenida Paulista, na esquina com a Alameda Campinas. Em vídeo transmitido ao vivo no Facebook, Fernando Holiday, vereador do DEM e integrante do MBL, disse que o grupo pretende permanecer atento e vigilante em defesa da operação Lava Jato, independentemente de quais partidos políticos sejam mirados. “Pensaram que nós só éramos contra o PT, os parlamentares do PMDB se assustaram. Pensaram que nós éramos tucanos, o PSDB não soube lidar com tanto barulho. Pensaram que nós nos calaríamos diante das acusações contra contra Aécio, contra Cunha, contra Serra, Alckmin…Não, nós não nos calamos. Todas as expectativas deles foram quebradas”, afirmou. Já Kim Kataguiri disse que o MBL vai continuar nas ruas exigindo punições “doa a quem doer, não interessa o partido político”.


14h00 – Manifestação em São Paulo deve começar em instantes

Os movimentos MBL e Vem Pra Rua se preparam para começar o ato na capital paulista. O carro de som do MBL já está parado na esquina da avenida Paulista com a Alameda Campinas.

Ao vivo da avenida Paulista, Rogério Chequer, líder do Vem Pra Rua, falou sobre as pautas da manifestação em vídeo publicado no Facebook.”A gente vai conversar com a galera na rua hoje sobre o que o governo está tentando fazer. Estão tentando trazer anistia, não querem abrir mão do foro privilegiado, querem trazer lista fechada, querem aumentar o financiamento com o nosso dinheiro para as campanhas para as eleições, e não é só para a campanha não, é para o ano todo”, disse Chequer. O movimento disse que o ato começará às 14h e terminará por volta de 18h.


13h29 –  Em Belo Horizonte, ato se concentra na Praça da Liberdade

Na capital mineira, a manifestação se concentra na Praça da Liberdade. De acordo com o site G1, a organização do ato não divulgou o número estimado de participantes, mas a Polícia Militar informou que cerca de 500 pessoas estão presentes. A manifestação conta com carros de som, faixas e uma grande bandeira do Brasil.

 


12h56 – Em Campinas, a trilha é “Dá-lhe, Moro”


12h41 – As pautas dos protestos de hoje

A primeira série de manifestações do MBL e Vem pra Rua de 2017 tem uma pauta difusa que vai desde o apoio à Lava Jato até o repúdio a proposta de lista fechada nas eleições de 2018. Alguns grupos defendem também a revogação do Estatuto do Desarmamento.

 


12h37 – Protesto em Belém do Pará debaixo de chuva


12h32 – No Rio de Janeiro, selfie com boneco do Lula presidiário

No Rio de Janeiro, manifestantes se aglomeram na Avenida Atlântica, em Copacabana, zona sul, desde as 10h deste domingo. Enquanto não inicia a caminhada, muitos aproveitam para tirar fotos em seus celulares com o boneco do ex- presidente Lula vestido de presidiário, de cerca de 5 metros, ao fundo.

As cores verde e amarela predominam nas roupas e a extensa bandeira nas mesmas cores, que marcou as manifestações desses grupos durante o processo de impeachment, foi estendida mais uma vez neste domingo. Muitos ainda vestem camisa com a imagem do deputado federal Jair Bolsonaro e a frase “Bolsonaro Presidente”.

A expectativa da organização é que 30 mil pessoas venham para a Avenida Atlântica na manhã e início de tarde deste domingo de forte sol para participar do protesto. No Facebook, 160 mil confirmaram presença.

Com Estadão Conteúdo


12h15 – Em Brasília, protesto reuniu 500 manifestantes 

De acordo com a Polícia Militar, protesto em frente ao Congresso  reuniu cerca de 500 manifestantes neste domingo. Os organizadores ainda não divulgaram o número de participantes. As informações são da GloboNews. O grupo se concentrou em frente ao Congresso e fez uma espécie de cortejo com imagens de parlamentares – entre eles, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados.


12h11 – Mais de 90 cidades terão protestos neste domingo

Veja o mapa de mobilizações, segundo o movimento Vem pra Rua

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jânia Paula

    SÓ ESPERO QUE SE PONHAM NA LINHA DE FRENTE QUANDO A GUERRA COMEÇAR… É Facção Togada, fazer o que? Cantar pra essa galera já que a PF esta ocupada demais dando lastro aos crimes da toga: Existe alguém esperando por você que vai comprar a sua juventude e convencê-lo a vencer… Existe alguém que está contando com você pra lutar em seu lugar já que nessa guerra não é ele quem vai morrer… Veja que uniforme lindo fizemos pra você. E lembre-se sempre que: Deus está do lado de quem vai vencer. O SENHOR DA GUERRA NÃO GOSTA DE CRIANÇAS !V!

  2. Verdadeiros idiotas, o Brasil é o único país do mundo que o povo vai pra rua pedir pra se ferrar.

  3. É raríssimo um assunto ou acontecimento no Brasil em que nossas opiniões e os atos praticados por nós não se baseiam em ‘Vamos apontar novamente o dedo na cara dessa pessoa’, não é incrível? São poucos os momentos, principalmente nos dias em que estamos passando, que deixamos de exaltar ao vermos as coisas positivas e as mudanças necessárias que estão acontecendo e tendo a esperança que se corrijam os desfeitos, mas sempre é o contrário, somos sempre impelidos por uma força estranha a censurar, e as censuras, a maioria dos que participam das manifestações não tem a capacidade para saber o motivo e nem a noção do que é plausível ou não, e os que têm o conhecimento da causa deveriam inteirar-se mais profundamente do assunto não fazendo essa miscelânea de atos, que afinal de contas, muitos nem existem. A reivindicação tem que possuir fundamentos, organização e um fim lógico e não essas palhaçadas que vemos quase todo santo dia nas ruas. Nunca teremos solução para o País se sabemos que este jeito de governar e o pensar do brasileiro jamais mudará para melhor. Diante disso o certo é: 1º – O Brasil ser administrado por um País dinâmico, eficiente e transparente em que a leis são cumpridas obrigatoriamente pelo Estado e pelos cidadãos, e isso naturalmente, nunca acontecerá neste bendito País. 2º – Destruir tudo que tem aqui dentro dos oito milhões e quinhentos mil quilômetros quadrados incluindo conjugar este verbo para abranger também todas as pessoas de EU até ELES. Se existe o bem e o mal no mundo, então todos que são do bem serão exaltados e os pertencentes ao mal continuarão a buscar seus quintos materiais e ‘espirituais’ no inferno. Aí sim, se o Pindorama transformar-se em Brasil novamente, as mentalidades do bem torcerão para que seja um lugar de princípios éticos e morais.

  4. Nadja Padilha

    Nossa que fiasco! Povo acordando.