Antes de visita ao Brasil, papa vira máscara no Rio

Expectativa dos fabricantes é por "uma multidão de papas Francisco nas ruas no momento que ele chegar aqui ao Rio de Janeiro"

Rio de Janeiro – O papa Francisco, que visitará o Rio de Janeiro em julho por ocasião da Jornada Mundial da Juventude da Igreja Católica, foi homenageado com a representação de seu rosto numa máscara confeccionada por um tradicional fabricante, que normalmente busca inspiração em personalidades importantes e famosos durante o Carnaval.

Os criadores da máscara esperam um sucesso de venda devido ao carisma do argentino Jorge Bergoglio, eleito em março depois da renúncia de Bento XVI.

A fábrica localizada em São Gonçalo, que ficou famosa pelo sucesso de máscaras de personalidades como Ronaldinho, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, lançou um novo modelo representando o papa para ser vendido em lojas do Rio antes da visita do pontífice.

Inicialmente, serão colocadas à venda apenas 120 máscaras do papa, mas a expectativa dos fabricantes é por “uma multidão de papas Francisco nas ruas no momento que ele chegar aqui ao Rio de Janeiro”, disse o espanhol Albert Paris, diretor comercial da fábrica.

“O papa é bem carismático, bem humilde, bem mais próximo do povo, uma pessoa já adaptada à atualidade mundial, então esse foi o motivo principal pelo qual a gente decidiu fazer a máscara”, afirmou.

“Acreditamos que a máscara vai ter uma aceitação boa nesse evento que vai acontecer com a chegada do papa.” O papa Francisco virá ao Rio para participar da Jornada Mundial da Juventude, que acontece de 23 a 28 de julho. O papa disse à presidente Dilma Rousseff no Vaticano, logo após assumir o pontificado, em março, que pode estender a viagem ao Brasil para incluir uma visita a Aparecida (SP), onde fica a Basílica de Nossa Senhora Aparecida.