Angélica diz que “jamais” impediria Huck de concorrer à presidência

Em entrevista à revista Marie Claire, a ex-apresentadora da TV Globo também contou que reuniões para discutir política brasileira acontecem em sua casa

São Paulo — A ex-apresentadora de televisão Angélica disse, em entrevista à edição de outubro da revista Marie Claire, que nunca sonhou em ser primeira-dama e que sua família teria mais a perder do que a ganhar com uma possível candidatura de seu marido, Luciano Huck, à presidência da República em 2022. No entanto, a artista afirmou que jamais impediria o apresentador de concorrer às eleições.

“Mesmo sem ser candidato, Luciano já apanha de todos os lados. Estamos acostumados com fake news, mas de um jeito menos sujo. Por outro lado vejo isso, digamos, como um “chamado” que ele não buscou. É uma coisa tão especial, que se ele decidisse se candidatar, o apoiaria”, declarou.

“Acredito na capacidade de trabalho e no olhar para o outro que ele tem. Mas é uma escolha minha? Que acho muito legal? Não posso falar isso porque não seria verdade. Teríamos mais a perder do que a ganhar. Mas estamos em um momento tão louco na política que não quero, jamais, ser egoísta e leviana de impedir algo nesse sentido. Jamais falaria “não, você não vai”.”

Sobre ser primeira-dama, a ex-apresentadora da TV Globo reafirmou que nunca pensou no posto.

“Não é um desejo meu. Seria uma honra? Claro. Mas nunca quis isso”, disse Angélica, que ganhou a biografia da ex-primeira dama norte-americana Michele Obama de sua assessora Débora Montenegro, de acordo com a reportagem da Marie Claire.

Em 2018, Huck havia demonstrado interesse em concorrer às eleições presidenciais, mas deu um passo atrás. Na entrevista à revista, Angélica foi questionada sobre se ela acha que o Brasil estaria melhor se o marido tivesse disputado a votação.

“Não posso dizer que ele seria o salvador da pátria, não existe isso. Acredito muito nele e no quão genuína é sua vontade de ajudar, mas não sei se o Brasil estava preparado e se ele estava preparado para o Brasil que pegaria. Essas coisas têm a sua hora”, disse.

Veja também

De acordo com Angélica, as reuniões de articulação sobre uma possível candidatura de Huck têm acontecido na sua casa e há uma “cobrança” pela candidatura do marido porque “as coisas estão loucas”. Na avaliação da ex-apresentadora, o Brasil tem andado um pouco para trás e as perspectivas não têm sido das melhores.

“Pode acontecer muita coisa boa, se Deus quiser, nos próximos anos. A perspectiva é essa? Não, a coisa está cada vez mais complicada.”

No evento Exame Fórum 2019, da revista EXAME, Luciano Huck fez um discurso com tom político e postura de candidato.

“A desigualdade é gritante. Se não fizermos nada, o país vai implodir. Quero ser um cidadão cada vez mais ativo para que o país se torne mais eficiente, mais afetivo e menos desigual”, declarou o apresentador da Globo durante o evento.