Aluna de Engenharia denuncia trote violento em Sorocaba

Ela alega que foi abordada por veteranos na cantina da escola, obrigada a ingerir bebidas alcoólicas e assediada sexualmente

Sorocaba – Uma estudante de 18 anos afirma ter sido vítima de trote violento e assédio sexual durante recepção a calouros na Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens), no interior de São Paulo.

Ela alega que foi abordada por veteranos na cantina da escola, obrigada a ingerir bebidas alcoólicas e assediada sexualmente por um estudante do quarto ano, que tentou beijá-la à força.

Como resistiu, um estudante de outro grupo jogou óleo diesel em seu corpo. A aluna decidiu sair da escola e desmaiou após passar pelo portão.

Ela foi socorrida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), chamada por outros alunos.

O trote aconteceu na noite de segunda-feira, 6. Segundo a jovem, ela e uma amiga foram abordadas por um grupo de veteranos e, após muita insistência, concordaram em ter o rosto pintado.

Trote

Conforme seu relato, os jovens passaram a insistir para que elas bebessem e, depois de um certo ponto, elas foram obrigadas a ingerir a bebida.

A garota se lembra de que o estudante quartanista tentou beijá-la, alegando que ela era caloura “e tem que fazer o que a gente manda”.

A jovem só se lembra de ter decidido ir para casa e se dirigir ao portão de saída.

Durante o atendimento médico, foram constatadas lesões nos braços e hematomas. Incentivada pela mãe, a estudante procurou a Polícia Civil e denunciou a agressão e o assédio.

A faculdade é privada e muito tradicional em Sorocaba. A direção da escola lamentou o “trote praticado fora do câmpus da faculdade” e informou ter tomado medidas para apurar o que aconteceu.

“A Facens reitera que comunicou por meio de avisos e carro de som, antes e nos primeiros dias de aula, que o trote é ilegal, proibido por lei e com punições conforme regimento interno”, informou a nota.

Ainda segundo a direção, a faculdade incentiva o trote solidário e este ano sugeriu aos calouros e veteranos ações que envolvem doações de alimentos não perecíveis e itens de higiene, além de livros didáticos infantis e trabalhos comunitários.

Em Sorocaba, uma lei municipal proíbe a prática de trotes em ruas e locais públicos, prevendo multa de R$ 1 a R$ 20 mil aos infratores.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Felipe Greghi

    Antes de publicarem uma matéria dessa, busque fontes mais confiáveis para publicar.

    O trote aconteceu FORA do recinto da faculdade e com o consentimento da “vítima”.

    A Facens não permite qualquer tipo de trote dentro do seu Campus.

  2. José N. Lenartevitz

    Matéria mentirosa e mal escrita

  3. Felipe Ribeiro

    E o óleo diesel que seus companheiros jogaram nela, foi com consentimento tbm?

  4. milena carvalho

    Interessa onde ocorreu?? Esse mundo tá perdido!! JOGARAM ÓLEO DIESEL NA MENINA!!!

  5. Giulia Abrahão

    Óbvio que interessa onde ocorreu, a instituição fez de tudo para que não ocorresse o trote, colocaram seguranças em todo lugar, já que ela foi obrigada a partiricipar pq não avisou os seguranças do que estava acontecendo? Na verdade ela não foi obrigada, foi porque quis! Além de tudo, a faculdade tem mais de 5 mil alunos e 50 deles no máximo aplicaram o trote, não tem porque jogar a culpa em cima da instituição, até porque os culpados serão punidos! Tenho vergonha dessa minoria que estuda lá e tenho orgulho de ser Facens!

  6. Giulia Abrahão

    Lembrando, o trote não aconteceu dentro da faculdade! 👍🏻

  7. Mirelle.na.nm@gmail.com Natalia

    os videos que foram feitos vocês não procuraram ver, antes de fazer uma matéria dessa deveriam pesquisar o que realmente houve, ninguém apontou uma arma na cabeça dela e obrigou que ela fosse pois se não era pra ter mais de 500 calouros nesse trote. Para uma revista conceituada, estão dando informações erradas sobre a situação. ORGULHO DE SER FACENS!

  8. Raquel Araujo

    Ela só é vitima se acaso tivesse uma arma apontada na cabeça…aham..entendi…muito boa sua justificativa.

  9. E logico seu babaca vc sempre vao dizer se inocentes e que a menina insistiu e vvs tambem nao insistiram? Pensam que sao donos do mundo e que a mulher pode ser objeto de suas vontades!! Vcs fizeram isso por pura maldade e desreipeito a vida a mulher e etc. Fazer pessoas perderem a consciencia com ingestao de alcool pra depois vcs a violarem tratando como objeto sem valor. Vao crescer psicologicamente !! Isso e violência.

  10. ViP Berbigao

    Tem q passar a borracha nesses valentões de araque! Recalcados!

  11. Mascarenhas Ari

    Todo babaca faz trote violento. E ainda acha que está certo. Se você participou ou incentivou trotes nos calouros em qulquer faculdafe, saiba que você é um grande imbecil.

  12. Marcos Moraes

    Como ainda ten gente que ousa defender um ato deste !! Não importa onde foi … A faculdade tem responsabilidade sim. E outra, esses estudantes pra mim, não passam de um bando de criminosos e que devem pagar. Ninguém permite ter diesel jogado no corpo !! Idiotas !! Tomaram que a justiça sejam e que estas pessoas paguem caro por isso.

  13. Amanda Nunes da Costa

    Eu sou contra esse tipo de trote, eu sou a favor do trote solidário que várias instituições promovem. Eu assim como meus colegas que eu nem conheço mas são alunos da Facens não estamos defendendo o trote. Estamos expondo nossa indignação por uma revista tão conceituada como a Exame ter publicado uma matéria tão distorcida. Pra quem não é aluno da Facens talvez a historinha publicada aqui faça sentido, mas vejam bem. No inicio das aulas,no primeiro semestre, o campus tem muitos seguranças contratados para evitar o trote, então não faz sentido o que disseram que ocorreu perto da cantina. Tudo o que ocorreu relacionado ao trote não foi dentro da Facens.
    Sou contra o trote, sou aluna veterana e sou mulher. Tenho orgulho de ser Facens.
    #OrgulhodeserFacens
    #Troteécrime
    #TroteSolidarioEuApoio
    #RevistaExameDecepcionou