Alckmin: novo presidente da Sabesp será definido em janeiro

Dilma Pena revelou que deixará o cargo em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, no sábado, 20, e alegou problemas de saúde

Ribeirão Preto – O governador Geraldo Alckmin afirmou nesta segunda-feira, 22, em Ribeirão Preto (SP), que o substituto da presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Dilma Pena, será definido somente em janeiro, assim como os ocupantes de cargos em empresas ligadas às secretarias paulistas.

“Nós substituímos o secretário de (Saneamento e) Recursos Hídricos e o doutor Benedito Braga (…) vai definir conosco a presidência da Sabesp e também a superintendência do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica, que são os dois órgãos vinculados à secretaria. Estamos deixando empresas para janeiro e agora são secretários”, afirmou o governador.

Dilma Pena revelou que deixará o cargo em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, no sábado, 20, e alegou problemas de saúde que a impediriam de continuar liderando a empresa com “capacidade máxima”. Alckmin disse ainda que segue indefinido o possível aumento na tarifa do Metrô em São Paulo para o próximo ano e que o assunto também será discutido após as mudanças no secretariado.

Entre as mudanças está o comando da Secretaria de Agricultura, com a saída de Mônica Bergamaschi, que está no cargo desde o início do atual mandato de Alckmin. Segundo o deputado federal e ex-secretário da Pasta, Duarte Nogueira (PSDB-SP), o governador buscaria um nome que aliasse o perfil técnico ao político. Assim, Alckmin poderia negociar o cargo com algum aliado e não perder o perfil da atual secretária, cuja indicação foi técnica. “Ele (Alckmin) recebeu várias sugestões, mas ainda não tem um nome”, disse Nogueira.

Alckmin esteve em Ribeirão Preto para a inauguração da última das três etapas da remodelação e ampliação do trevo Waldo Adalberto da Silveira, que interliga a via Anhanguera a outras duas rodovias. No trevo, um dos maiores do país, foram investidos R$ 120 milhões, com recursos da Arteris, que controla a Vianorte, concessionária do trecho.