Ajuda do G7 contra incêndios no Brasil não terá verba francesa, diz Chile

Segundo o governo chileno, valor oferecido pela França "será destinado apenas a outros países da região"

O governo do Chile informou nesta segunda-feira (2), que a ajuda financeira destinada pelo G-7 para combater os incêndios na Amazônia brasileira excluirá a contribuição da França, que será destinada apenas “a outros países” da região.

Em seu comunicado, a chancelaria chilena informa que “já estão na Amazônia e a disposição do governo brasileiro dois aviões AT108 especializados no combate a incêndios florestais, com capacidade de 3.000 litros, oferecidos pelo presidente (Sebastián) Piñera para combater os incêndios”, enquanto outros “dois aviões adicionais, com as mesmas características, serão enviados nos próximos dias”.

Mas ao contrário do que se noticiou anteriormente, quando se informou que os recursos mobilizados nestes aviões procedia de fundos comprometidos para esta finalidade pelo G-7, “o governo do Chile precisa que a ajuda financeira concedida pela França será destinada aos demais países amazônicos que a solicitaram”.

Após participar como país convidado da última reunião do G7 — formado por Estados Unidos, Reino Unido, Japão, Itália, Alemanha, França e Canadá —, o presidente chileno, Sebastián Piñera, assumiu o papel de coordenador dos 20 milhões de dólares prometidos para o combate aos incêndios na Amazônia.

Nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro declarou que “não aceitará esmolas de qualquer país do mundo sob o pretexto de preservar a Amazônia”.