Aécio: ‘Não postulo e não serei presidente do Senado’

Aécio negou que tenha articulado com os partidos aliados e até mesmo da base governista o apoio à sua candidatura à presidência do Congresso

Belo Horizonte – Sob o argumento de que sempre respeitou a proporcionalidade na distribuição do poder no Parlamento, o senador eleito Aécio Neves (PSDB-MG) disse ao jornal O Estado de S. Paulo que em momento algum articulou com os partidos aliados e até mesmo da base governista o apoio à sua candidatura à presidência do Congresso.

No sábado, o jornal revelou que foi deflagrada uma ampla articulação política para que Aécio conquiste o comando do Senado, em operação bancada por PSDB e DEM, com o apoio informal de setores do PSB e do PP. A articulação contaria com a possível adesão de PDT e PC do B, que ajudaram a eleger Dilma Rousseff (PT) presidente. Em troca, o senador apoiaria esses parceiros na briga pelo controle da Câmara.

“Não postulo, não articulo, não disputo e não serei presidente do Congresso. É natural que a presidência do Senado caiba às forças majoritárias, o que não é o nosso caso. Quem pensa que estou articulando isto, ou não me conhece, ou não conhece o Congresso. Fui parlamentar por 16 anos e sempre defendi, e continuo defendendo, o respeito à proporcionalidade na ocupação dos espaços no Parlamento”, afirmou Aécio.

Um dos que já defenderam publicamente o nome do ex-governador para o lugar do senador José Sarney foi o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB). Apesar desse movimento, o tucano insiste em que nunca conversou com nenhum senador sobre o assunto, nem mesmo para articular a presidência do PSDB ou a liderança do partido no Senado. 

“Minha participação nisso é zero, zero, zero. Não estou conversando com ninguém e não falei com um único senador sequer sobre presidência do Senado. Não postulo nada e não quero cargo algum.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.