Ação acusa filho de senador por empregar piloto

O deputado estadual Gustavo Perrella foi acusado pelo Ministério Público de ter mantido como funcionário fantasma da Assembleia Legislativa de Minas

São Paulo – O deputado estadual Gustavo Perrella (PSD-MG), filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG), foi acusado pelo Ministério Público Estadual de Minas Gerais de ter mantido como funcionário fantasma da Assembleia Legislativa do Estado o piloto do helicóptero da família.

Em novembro do ano passado, a aeronave pilotada pelo ex-servidor da Assembleia Rogério Almeida Antunes foi apreendida pela Polícia Federal no Espírito Santo com 443 quilos de pasta de cocaína.

Na época, o helicóptero Robinson modelo R 66 foi confiscado pela Justiça Federal capixaba.

No mês passado, porém, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), no Rio de Janeiro, mandou devolver o helicóptero para os Perrella.

Em depoimento ao Ministério Público, o piloto Rogério Antunes, réu por tráfico internacional de drogas, declarou que recebia remuneração mensal de R$ 11 mil, sendo que R$ 1 mil eram pagos pelos cofres da Assembleia.

Ele disse que nunca prestou serviço para o Legislativo e que sua função era pilotar o helicóptero em viagens até a praia, chácaras de amigos, fazenda da família e atos políticos.

Procurada, a assessoria de Gustavo Perrella – que é candidato a deputado federal – disse que ele não iria falar. Seu advogado disse que só vai se pronunciar após ter acesso ao teor da ação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.