Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

XP retoma planos de IPO; Europa aprova Brexit e mais…

Desigualdade estanca

Relatório divulgado pela ONG Oxfam na manhã desta segunda-feira mostra que a desigualdade de renda parou de cair no Brasil depois de 15 anos. O Brasil subiu um degrau no ranking mundial de desigualdade de renda, passando a ser o 9º país mais desigual. De acordo com a Oxfam, desde 2002 o índice Gini da renda familiar per capita vinha caindo a cada ano, o que não foi observado entre 2016 e 2017, quando ficou estagnado em 0,549 (quanto mais próximo de zero, menor a desigualdade). No relatório “País Estagnado”, a Oxfam aponta que entre 2016 e 2017 o Brasil se manteve no mesmo patamar do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), seguindo na 79ª posição em um ranking de 179 países.

Palocci acusa Lula

Em delação premiada à Polícia Federal, o ex-ministro Antônio Palocci relatou uma suposta atuação criminosa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva para viabilizar o projeto de nacionalizar a indústria naval e arrecadar recursos para campanhas do PT, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. Segundo Palocci, Lula e Dilma teriam determinado a cinco ex-diretores de fundos de pensão do Banco do Brasil, da Caixa e da Petrobras, indicados pelo PT, que incentivassem o “projeto sondas”. A operação resultou na criação da Sete Brasil, em 2010, empresa que buscava viabilizar a construção no Brasil de navios-sonda para explorar o pré-sal.

Olavo de Carvalho: estoque acabou

Responsável por indicar dois ministros do novo governo – Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Ricardo Vélez Rodrígues (Educação) – o filósofo Olavo de Carvalho rejeita o rótulo de ideólogo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. “É lenda urbana”, disse. Em entrevista ao jornal O Estado De São Paulo, ele afirmou que há uma “dominação comunista” na educação brasileira e defendeu que seja feita uma “reunião de provas” sobre isso. Por isso, disse que é ingenuidade levar o projeto Escola Sem Partido para debate no Congresso. Para ele, “uma guerra cultural se vence no campo cultural”. Olavo, que há 13 anos mora nos Estados Unidos, criticou ainda a imprensa brasileira e falou que a eleição de Bolsonaro “tem de ser respeitada”. Depois de ter indicado os ministros da Educação e das Relações Exteriores, Olavo de Carvalho afirmou que o “estoque acabou”.

XP retoma planos de abrir capital

A financeira XP Investimentos retomou os planos de abrir o capital, mas desta vez na bolsa de valores americana Nasdaq, segundo informa o jornal Valor. Depois de ter vendido uma fatia acionária para o Itaú, a XP está de olho nos sucessos dos IPOs das financeiras stone e PagSeguro, especializadas em pagamentos. O fundo de private equity General Atlantic, acionista da XP, é, segundo o jornal, o maior incentivador da ideia de ir à bolsa. O problema, para a XP, é que as ações de Stone e PagSeguro acumulam semanas de queda junto com todo o mercado acionário americano em razão de dúvidas sobre a sustentabilidade do crescimento econômico do país.

Palmeiras é campeão brasileiro

O Palmeiras venceu o Vasco por 1 a 0, no Rio de Janeiro, e conquistou o décimo título brasileiro de sua história, e o segundo consecutivo. A vitória consagra Luiz Felipe Scolari, técnico marcado pela derrota de 7 a 1 para a Alemanha. Desde que assumiu o Palmeiras, na metade do campeonato, o time emendou um segundo turno invicto para conquistar a taça. O gol da vitória, de Deyverson, veio a cerca de 20 minutos do final. O outro postulante era o Flamengo, que venceu o Cruzeiro por 2 a 0, em Belo Horizonte. A vitória Palmeirense marca o sucesso da parceria entre o time e a Crefisa, seu principal patrocinador. O bi repete a era Parmalat, em que outro forte patrocinador levou o clube a também ser bicampeão brasileiro, em 93 e 94.

Conflitos na fronteira americana

Os Estados Unidos fecharam nos dois sentidos o principal posto de fronteira com o México na cidade de Tijuana, onde cerca de 5.000 imigrantes da América Central tentam asilo nos Estados Unidos. Novos confrontos na fronteira entre México e Estados Unidos marcaram o domingo. O governo mexicano prometeu deportar aqueles que tentarem entrar ilegalmente no país vizinho. À medida que se acentuam as tensões em Tijuana, Donald Trump pressiona o México para que aceite que os centro-americanos permaneçam em seu território enquanto aguardam que se resolva seu pedido de refúgio. No sábado, o jornal The Washington Post publicou que os Estados Unidos e o próximo governo mexicano que será chefiado pelo esquerdista Andrés Manuel López Obrador se encaminham para um acordo sobre o tema.

Democratas investigarão Trump

Os democratas têm a intenção de investigar os laços financeiros do presidente americano, Donald Trump, para determinar se são a mão oculta que impulsiona a política externa do país na Rússia e na Arábia Saudita, disse neste domingo (25) o novo presidente do Comitê de Inteligência da Câmara de Representantes. Adam Schiff, o democrata que ocupa o cargo mais alto neste comitê, acusou Trump de ser “desonesto” sobre o papel do herdeiro à coroa saudita, o príncipe Mohammed bin Salman, no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. Um senador republicano a par de assuntos de Inteligência também questionou a negativa de Trump sobre se a CIA tinha chegado à conclusão de que o príncipe-herdeiro foi o mandante do homicídio, cometido em 2 de outubro.

Europa confirma plano do Brexit

A União Europeia (UE) aprovou neste domingo um histórico acordo de divórcio com o Reino Unido, que o presidente da Comissão Europeia classificou de “tragédia”, um processo sem precedentes que para terminar bem ainda precisa de uma difícil ratificação do Parlamento britânico. “Este é o melhor acordo possível para a Grã-Bretanha, este é o melhor acordo possível para a Europa”, disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em uma entrevista coletiva após a reunião de cúpula extraordinária de Bruxelas na qual os governantes europeus respaldaram o texto, ao lado da primeira-ministra britânica Theresa May. Agora, May precisa convencer o Parlamento britânico a referendar o acordo, tarefa considerada das mais difíceis por analistas. Boa parte dos parlamentares defende uma saída dura, sem acordo nenhum, e outra parte sonha com um novo referendo que derrube a proposta de dexiar a União Europeia.

Novos bombardeios russos na Síria

A Rússia bombardeou neste domingo posições dos rebeldes sírios – acusados de terem realizado, na véspera, um ataque com “gás tóxico” – na cidade de Aleppo, controlada pelo governo, que causou 100 casos de problemas respiratórios entre a população civil. “Os aviões da Força Aérea russa realizaram ataques”, anunciou o porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov, citado pela agência de notícias estatal Tass, acrescentando que “todos os alvos dos combatentes rebeldes foram destruídos”. Em um país destruído desde 2011 por uma guerra que já causou mais de 360 mil mortes, os rebeldes, assim como o regime de Bashar al-Assad, foram acusados em várias ocasiões de terem usado armas químicas, proibidas pelo direito internacional.