5 cidades brasileiras vão ao top 20 de soluções inteligentes

Ação promovida pela Bloomberg Philanthropies dará incentivo financeiro de US$ 5 milhões para cidade que apresentar melhor projeto contra problemas sociais

São Paulo – A entidade Bloomberg Philanthropies divulgou nesta segunda-feira (20) os vinte melhores projetos do Desafio dos Prefeitos América Latina, que premia ideias de inovação com objetivo de resolver problemas ou carências sociais do município.

O Brasil se destaca com cinco representantes entre as finalistas. São elas Barueri (SP), Corumbá (MS), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

Com soluções assinadas pelas prefeituras, o desafio dá incentivos financeiros aos cinco melhores de cada edição. O vencedor leva US$ 5 milhões para implementação da solução e os quatro seguintes US$ 1 milhão cada.

O prêmio foi realizado três vezes, com foco nos Estados Unidos em 2013 e na Europa em 2014. A Bloomberg Philanthropies contou com participação de 290 inscritos, 80 dos quais brasileiros.

“Tivemos um rigoroso processo de seleção, que olhou para critérios como a facilidade de implementação, o impacto social e se é possível aplicar as soluções em outras cidades semelhantes”, afirma Jim Anderson, chefe do departamento de Inovação Governamental da Bloomberg Philanthropies. “Um comitê nos ajudou a identificar quais delas eram as mais fortes.”

O juri de treze pessoas levou dois meses para escolher os finalistas. Agora, o top 20 receberá consultoria da entidade para dar corpo aos projetos durante três meses. Haverá nova seleção e os cinco primeiros serão escolhidos. O anúncio do vencedor está previsto para novembro de 2016.

“O Brasil mostrou um ótimo engajamento no nosso concurso, com extrema criatividade. Estamos muito empolgados com as cinco escolhidas”, afirma Anderson. “O que amo nesse projeto é instigar as cidades a atacar suas dificuldades.”

UM RESUMO DOS PROJETOS

O projeto de Barueri visa a incentivar o acesso de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho, através da criação de uma rede de capacitação, análise de condições e assistência técnica aos candidatos e empregadores, tudo por meios físico e virtual.

Corumbá pretende amenizar a degradação ambiental causada pelo descarte inadequado de minério, redirecionando resíduos para fabricação de material de construção.

Curitiba aproveitou o histórico de inovações de trânsito para propor melhorias na mobilidade de pessoas com deficiência, tanto através de integração de transporte mais inclusivas como eficiência de rotas, para gerar inclusão.

O Rio de Janeiro tenta melhorar os padrões do atendimento de saúde infantil integrando dados agências nacionais, cerceando as necessidades para crianças de zero a seis anos.

São Paulo, por fim, conecta pela internet a demanda local por produtos de fazendas orgânicas e familiares da periferia a restaurantes, mercados e escolas. Uma forma moderna de abastecer comerciantes com produtores locais.