4 pontos para entender o surto de microcefalia no Brasil

Governo decretou estado de emergência no país após aumento do número de casos em Pernambuco; entenda o que é a doença

São Paulo – O Ministério da Saúde declarou nesta quarta-feira situação de emergência nacional devido a um surto de microcefalia em Pernambuco. Até agora, foram identificados 141 casos da doença em 44 municípios do estado. De acordo com o ministro Marcelo Castro, a média nos anos anteriores é de dez casos. Entenda um pouco mais sobre a situação:

O que é microcefalia?

A microcefalia é uma anomalia congênita caracterizada pela alteração no tamanho do crânio do recém-nascido – bem abaixo da média. Ela pode ser diagnosticada ainda na gestação e deixa sequelas como problemas cognitivos, de visão e audição.

O que causa a doença?

Vários fatores podem provocar a anomalia, como a má nutrição das mães, o uso de drogas e álcool durante a gravidez e doenças como rubéola e toxoplasmose. 

No caso específico de Pernambuco, investigadores analisam uma possível relação com o zika – vírus transmitido pelo Aedes Aegypti e que causa coceira na pele e febre baixa. Algumas das mães apresentaram alguns desses sintomas no início da gestação. 

E como está a situação em outros estados?

Rio Grande do Norte e Paraíba também registraram um aumento recente no número de casos da doença. No Rio Grande do Norte, de acordo com informações da Agência Estado, foram identificados 10 bebês nascidos com microcefalia até o início da semana. Outras 11 gestantes tiveram o diagnóstico da malformação no mesmo período. 

Por que o governo declarou situação de emergência?

A declaração do surto de emergência, de acordo com o ministério da Saúde, tem como objetivo facilitar a investigação de novos casos e facilitar, caso seja preciso, compras e contratações emergenciais. 

Uma equipe de pesquisadores foi enviada ao estado para cuidar dos casos. As mães foram entrevistadas e, junto com os bebês, passaram por exames. 

Para ajudar na investigação de novos casos, a Secretaria de Saúde de Pernambuco lançou um site para a notificação de ocorrências e um protocolo que orienta quais exames devem ser feitos e possíveis tratamentos.