3 dos feridos em ponte de Sergipe continuam internados

Quatro homens atravessavam a ponte conduzindo um grupo de cavalos quando toda a estrutura ruiu

Brasília – Três dos quatro pedestres que passavam pela ponte que caiu no último sábado (9), na Grande Aracaju (SE), continuam internados em hospitais públicos de Sergipe.

O caso mais grave foi o de Adeilson Santos, 25 anos, que quase se afogou ao cair no Rio Cotinguiba e precisou ser internado na Ala Vermelha do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), reservada para os casos considerados críticos.

Segundo a assessoria do estabelecimento, o quadro clínico de Santos está estabilizado, embora ele continue em observação.

Outro ferido que permanece internado é Juracir da Silva Santos, de 63 anos. Ele fraturou o fêmur ao cair no rio com os escombros da ponte e das duas adutoras instaladas na estrutura.

Santos foi transferido hoje (11) do Huse para a Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia, também em Aracaju, onde será submetido a uma cirurgia.

Os outros dois feridos sofreram escoriações leves. Apesar disso, Erivaldo Magno, de 44 anos, continua internado no Huse em observação. Já Everton Conceição Bezerra, de 16 anos, foi liberado no mesmo dia do acidente, logo após receber os primeiros cuidados médicos.

Os quatro homens atravessavam a ponte conduzindo um grupo de cavalos quando toda a estrutura ruiu. Vários cavalos morreram devido à queda ou atingidos por escombros.

Segundo o coordenador da Defesa Civil estadual, coronel José Erivaldo Mendes, a ponte que liga as cidades de Laranjeiras e Maruim em um trecho da rodovia federal BR-101 estava interditada há tempos para o tráfego de veículos e era utilizada apenas por pedestres.

Com o rompimento das duas adutoras, o abastecimento de água de cerca de 1 milhão de moradores de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão foi prejudicado.

Segundo a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), o sistema está operando com apenas 30% da oferta habitual. O governo estadual discute decretar situação de emergência ainda hoje.

Obras emergenciais para a construção de uma nova adutora foram iniciadas na noite de sábado, mas a previsão da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) é de que a primeira parte dos trabalhos só seja concluída na sexta-feira (15) – após o que, serão necessários entre um ou dois dias para normalizar o fornecimento.