250 bi em esqueletos; Andrade se desculpa…

Esqueletos bilionários
Projeção do jornal O Estado de S. Paulo calcula que os “esqueletos” que um provável governo Temer herdará da administração de Dilma Rousseff podem chegar a 250 bilhões de reais. A agência de classificação de risco estima que a conta pode chegar a 600 bilhões de reais. Os cálculos incluem, entre outros, capitalizações em estatais, negociação de dívidas dos estados, inadimplência no financiamento estudantil Fies.

Indenização bilionária

A construtora Andrade Gutierrez, investigada na Lava-Jato, fechou acordo de leniência no valor de 1 bilhão de reais. O acordo foi homologado pelo juiz Sergio Moro e prevê pagamentos parcelados em oito anos. A empresa estava em negociação com o Ministério Público desde outubro de 2015. Nesta segunda-feira, a companhia deve divulgar ainda um pedido de desculpas pelas irregularidades e apresentar propostas para tornar as licitações mais éticas.

Maranhão articula

O presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, do PP do Maranhão, costura um acordo político para se manter no cargo até o fim do mandato do ex-presidente Eduardo Cunha, que termina em fevereiro. Uma das últimas cartadas é uma aliança com o governador maranhense Flávio Dino, do PCdoB, próxima à presidente Dilma Rousseff. Enquanto isso, continuam a surgir denúncias contra Maranhão. O doleiro Alberto Youssef citou o deputado como um dos que recebiam comissão em seu escritório em São Paulo.

Incêndio vai durar meses

O incêndio florestal que se alastra pela província de Alberta, no Canadá, duplicou de tamanho nos últimos dias e não tem previsão para ser controlado. Até a noite de sábado, o fogo já atingia 200.000 hectares. A área florestal possibilita o avanço do fogo por ser grande produtora de petróleo e gás. A seca que se instalou pela região também dificulta o combate ao foto. O incêndio já levou agências a reduzir a estimativa do PIB canadense para 2016.

El Chapo nos EUA

Um juiz mexicano se pronunciou a favor da extradição aos Estados Unidos do traficante Joaquín Guzmán, conhecido como “El Chapo”. Guzmán foi transferido no sábado para uma prisão em Ciudad Juárez, perto da fronteira com os Estados Unidos. Há dois pedidos abertos pedindo a ida do traficante aos Estados Unidos, por tráfico de cocaína e homicídio. A extradição depende do Ministério das Relações Exteriores do México.