Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Mortes na catedral; Avianca pede RJ; Trump ameaça sobre muro e mais…

Cade vê cartel de metrô em SP

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pediu a condenação de 16 empresas e 52 pessoas por formação de cartel em licitações de trens e do Metrô em São Paulo, informa o jornal O Estado de S. Paulo. De acordo com o parecer, o esquema atingiu também concorrências de metrôs de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. O cartel teria afetado pelo menos 27 licitações em 11 projetos de metrô – 8 no Estado de São Paulo. A estimativa do Cade é que os contratos fraudados somem 9,4 bilhões de reais. Estão citadas as seguintes empresas, ainda não condenadas: Alstom, Bombardier, CAF Brasil, Hyundai-Rotem, Mitsui, Tejofran, Iesa, MGE, MPE, Procint, Serveng-Civilsan, TC/BR, Temoinsa, Trans Sistemas, ConsTech e Balfou.

Mortes na catedral

Um homem entrou na Catedral Metropolitana de Campinas, no centro da cidade, na tarde desta terça-feira (11) e atirou em oito pessoas que estavam rezando no local. As primeiras informações indicam que cinco pessoas teriam morrido, sendo quatro homens, incluindo o atirador, e uma mulher. Uma sexta vítima não resistiu e faleceu no hospital. Na hora do ataque houve correria no centro da cidade, principalmente na rua 13 de Maio, uma das mais movimentadas do comércio local. O autor dos disparos usou uma pistola e um revólver. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorreu os feridos para hospitais da cidade.

Escola Sem Partido arquivado

O projeto conhecido como Escola Sem Partido foi arquivado na tarde desta terça-feira, 11. A comissão especial que analisava o Projeto de Lei 7180/14 encerrou sua última reunião sem conseguir analisar a proposta. O Escola sem Partido é apoiado pelo presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O projeto, do deputado Erivelton Santana (PSC-BA), proíbe que professores manifestem posicionamentos políticos, ideológicos e discussões sobre questões de gênero em sala de aula. O presidente da Comissão Especial, deputado Marcos Rogério (DEM-RO), encerrou a discussão e afirmou que não convocará mais reuniões. O motivo foi a falta de deputados presentes para a votação. Apesar de haver quórum no painel eletrônico, estavam presentes na sessão apenas 12 deputados, enquanto deveria haver pelo menos 16 parlamentares para a votação. Esta foi a 12ª sessão da comissão em que a votação do parecer do relator, deputado Flavinho (PSL-SP) estava na pauta.


Meirelles em SP

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), vai anunciar nesta terça-feira Henrique Meirelles (MDB) como secretário de Fazenda do Estado em seu governo. Presidente do Banco Central na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministro da Fazenda de Michel Temer, Meirelles foi candidato à Presidência neste ano e obteve pouco mais de 1% dos votos válidos na disputa. Na semana passada, o futuro governador disse que já estava sondando Meirelles para sua equipe. Na ocasião, o tucano afirmou que considera o emedebista o “secretário dos sonhos”.

O secretário da Previdência

O economista e professor Rogério Simonetti Marinho assumirá a secretaria especial de Previdência do governo de Jair Bolsonaro, informou nesta terça-feira a assessoria de imprensa do futuro ministro da Economia Paulo Guedes. O consultor legislativo especialista em previdência Leonardo Rollim assumirá a secretaria adjunta de Previdência, segundo comunicado da assessoria. Na Câmara, onde exerceu dois mandatos, Marinho relatou um projeto de reforma tributária, informou a assessoria. A equipe de Guedes divulgará em breve os detalhes sobre o organograma e as atribuições de cada secretaria do futuro ministério da Economia, pois está em fase final de preparação da estrutura da pasta, diz o comunicado.

Avianca Brasil pede recuperação judicial

A Avianca Brasil entrou com um pedido de recuperação judicial nesta segunda-feira, 10. O pedido de recuperação de dívidas de 50 milhões de reais foi aberto na 1a Vara Empresarial de São Paulo, segundo EXAME apurou. A assessoria de imprensa da companhia nega o pedido de recuperação. O pedido corre em segredo de justiça e em caráter de urgência. A expectativa é que o juiz dê um parecer até amanhã, segundo apurou EXAME. O pedido de urgência foi feito porque a companhia aérea está sob risco de paralisar suas operações. Endividada, a empresa sofre pressão para devolver aeronaves arrendadas por falta de pagamento. Ela corre risco de devolver 11 aviões, quase 18% de sua frota, para a Constitution Aircraft, empresa de leasing.

Nubank lança débito

A empresa de cartões Nubank anunciou hoje a função débito e a possibilidade de saque em dinheiro para quem tem sua conta digital, a NuConta. Com isso, a instituição passa a permitir pagamentos de transações e fica ainda mais perto dos grandes bancos do varejo. “Existem mais de 20 milhões de pessoas que pediram cartões Nubank e a gente ainda não conseguia aprovar, precisávamos melhorar nossos modelos de análise”, afirmou David Vélez, cofundador do Nubank. A modalidade de débito contará com a possibilidade de saque em caixas eletrônicos, uma demanda dos clientes. A funcionalidade está agora em fase de testes, com 10 mil clientes. O saque será possível nas máquinas do Banco 24 Horas.

A pessoa do ano da Time

O jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado no consulado de seu país em Istambul, e outros três repórteres e um meio de comunicação foram reconhecidos com como “Pessoa do Ano 2018” pela revista “Time”. “Este ano estamos reconhecendo quatro jornalistas e um meio de comunicação que pagaram um terrível preço por encarar os desafios deste momento”, afirmou Edward Felsenthal, diretor da publicação nova-iorquina. O prêmio, outorgado anualmente desde 1927, “reconhece a pessoa ou grupo de pessoas que mais influenciaram as notícias e o mundo – para bem ou para mal – durante o ano”.

Trump ameaça sobre muro

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou nesta terça-feira, 11, paralisar as atividades de seu próprio governo por falta de fundos se o orçamento que o Congresso deve aprovar este mês não incluir uma quantia que considere suficiente para construir o muro na fronteira com o México. Trump se pronunciou durante uma acalorada reunião no Salão Oval da Casa Branca com os líderes democratas na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, e no Senado, Chuck Schumer. “Se não conseguir o que quero, fecharei o governo. Estou orgulhoso de fechar o governo devido à segurança fronteiriça”, afirmou Trump.