Você não é todo mundo!

É um erro nos guiarmos pelo desempenho e pelas expectativas de outros

A frase do título é muito atribuída às mães quando o filho manifesta desejo de ter os privilégios usufruídos por alguns colegas. Eu resolvi trazê-la para esse artigo para lembrar que cada profissional tem uma dificuldade, um desafio e uma barreira para superar. Ou seja, é único. Isso, porém, não deve ser um motivo de desânimo ou paralisação das ações, mas um estímulo para encontrar meios de seguir em busca dos próprios objetivos.

Às vezes, por exemplo, desmerecemos nossas próprias conquistas ao nos compararmos com o desempenho de outras pessoas, sem saber quais são as motivações e condições que elas dispõem. Então, minha proposta é que você:

  1. Pegue um papel e uma caneta;
  2. Faça o planejamento da próxima semana;
  3. Inclua entre as ações uma atitude que te faça evoluir como pessoa ou profissional.

Não precisa ser nada muito complexo. Pode ser um café com alguém que te dará conselhos profissionais; o pedido de feedback para o seu gestor; a inscrição para um curso que você está adiando; um almoço com um profissional que pode ser a ponte para um novo trabalho ou projeto; a revisão do seu plano de carreira ou o início da leitura daquele livro que vai te agregar mais conhecimento; entre muitas outras iniciativas.

Tome uma atitude que tenha a ver com um desejo genuíno seu e não com algo que faça parte da realidade ou da expectativa de outra pessoa que esteja ao seu redor. Se te fizer bem, tente incluir esse planejamento na sua rotina semanal. Você vai se surpreender com os resultados, no médio e longo prazo. 

Tenha um ótimo final de semana!

Aqui neste Blog, você encontra outros artigos sobre carreira, gestão e mercado de trabalho. Também é possível ter mais informações sobre os temas na Central do Conhecimento do site da Robert Half.

* Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half