Muito além dos índices

Na última semana, o IBGE divulgou a taxa de desemprego no Brasil: 4,9%, uma das mais baixas da série histórica. Esse índice, que vem se mantendo em níveis semelhantes ao de pleno emprego, é bastante animador para os profissionais – reflete um mercado de trabalho demandante, que tende a valorizar e reter os verdadeiros talentos, e que se esforça para buscar bons candidatos. O índice do IBGE, porém, é apenas […] <div class="read-more"><a href="https://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/sua-carreira-sua-gestao/2014/05/28/muito-alem-dos-indices/" class="more-link">Leia mais</a></div>

Na última semana, o IBGE divulgou a taxa de desemprego no Brasil: 4,9%, uma das mais baixas da série histórica. Esse índice, que vem se mantendo em níveis semelhantes ao de pleno emprego, é bastante animador para os profissionais – reflete um mercado de trabalho demandante, que tende a valorizar e reter os verdadeiros talentos, e que se esforça para buscar bons candidatos.

O índice do IBGE, porém, é apenas a ponta do iceberg. Essa porcentagem tem uma visão abrangente sobre o emprego em todo o Brasil, e cobre desde os empregos de baixa qualificação até as posições de alto escalão nas empresas.

Na prática, os índices são diferentes – tendem a ser maiores que a média nos empregos operacionais e muito menores em cargos de alta especialização. Me arriscaria a dizer que, para profissionais com demanda em alta, como contadores, gerentes financeiros e engenheiros, o desemprego é próximo de zero. Muitos desses candidatos são assediados mesmo empregados, conseguem se dar ao luxo de ter várias oportunidades em vista e escolher a melhor proposta.

É claro que existem variações regionais e diferenças de demanda entre as indústrias. O que já é uma constante, porém, é a valorização de profissionais comprometidos, que trazem conquistas para a empresa onde trabalham e que estão dispostos a aprender para crescer. Para quem investe em qualificação, idiomas e em experiências relevantes para suas carreiras, o pleno emprego tende a ser sempre uma realidade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s