Você já sabe trabalhar sob pressão — só precisa mentalizar estas 4 dicas

A busca das empresas – hoje e cada vez mais – é por profissionais equilibrados, resilientes, conciliadores e flexíveis, sem perder o foco nos resultados

Certa vez, ouvi a seguinte frase: “as pessoas sabem trabalhar sob pressão, o que acontece é que elas preferem executar as tarefas em um ambiente mais confortável”. Realmente, em meus anos como líder, pude constatar isso ao presenciar muitos profissionais desenvolvendo a habilidade de manter o equilíbrio diante de situações de crise, apresentando excelentes resultados.

Não adianta fugir. A busca das empresas – principalmente hoje e cada vez mais – é por profissionais equilibrados, resilientes, conciliadores e flexíveis, sem perder o foco nos resultados. E, acredite, aqueles que inclusive sob pressão conseguem mostrar força mental e qualidade das entregas, seja individualmente ou em grupo, ganha pontos importantes entre pares, superiores e subordinados.

Se você faz parte do grupo que ainda acredita não ser capaz de trabalhar sob pressão, aqui vão quatro técnicas pessoais:

1 – Não entre em pânico

Ter medo é saudável porque evita que você tome atitudes precipitadas, mas o pânico paralisa e isso não é bom. Entenda o momento de pressão como uma oportunidade de testar seus limites, conhecer seu potencial e aprimorar ou desenvolver competências e habilidades, e não como um acontecimento que veio para complicar o seu dia.

2 – Divida a resolução em etapas

Ao fragmentar o problema, verá que é possível que você passe a enxergá-lo como algo menos assustador e mais possível de ser resolvido.

3 – Se possível, mapeie pessoas que possam te ajudar

Ao distribuir responsabilidades, você terá a real sensação de que algo está sendo feito e em ritmo mais acelerado do que se estivesse somente dependendo da sua ação. Porém, tenha atenção na escolha, afinal, como diz Coach K, “dois só é melhor que um se dois conseguirem agir como um”.

4 – Busque ações corretivas

Quando o problema estiver resolvido, busque entender se há necessidade de melhorias nos processos para que a questão não volte a se repetir. Se possível, busque conversar com profissionais da área para a troca de informações e experiências.

A rotina de toda organização é formada por um conjunto de questões a serem resolvidas, variando entre as mais simples e as mais complexas. E, que bom que elas existem. Pois são a garantia do meu emprego e do seu!

* Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s