Chefe chato? A explicação pode estar aqui!

Chefe não é super-herói! Ele está na empresa para te apoiar e guiar, sempre pensando no seu desenvolvimento e no que é melhor para a organização.

Aceite! Por mais agradável que seu chefe possa parecer, em algum momento do relacionamento entre vocês é provável que ele se veja obrigado a tomar alguma decisão polêmica que pode contrariar você, outro par do grupo ou o time todo. E, cabe a você e a seus colegas ter maturidade para avaliar a situação de desagrado antes de julgar o líder.

Eu, assim como muitos de vocês, tenho um gestor a quem devo reportar e justificar todos os resultados do meu trabalho. No nosso caso, assim como a empresa não é minha, também não é dele. Ou seja, preciso ter em mente que, caso eu não atinja uma meta esperada ou combinada, é natural que ele me cobre por isso. Faz parte do jogo. Até mesmo porque, alguém, em um cargo acima de nós dois, vai cobrá-lo também. Trata-se de um ciclo natural em qualquer organização.

Com relação às decisões difíceis que um chefe adota, em geral, existem dois tipos: as que ele concorda por entender que é o melhor para as estratégias do negócio; e as que ele, apesar de não concordar, precisa executar, também com base em algum plano maior da empresa. É claro que existem casos e casos, mas, desde que haja ética nas atitudes e relações, nenhuma das duas situações fazem desse chefe uma pessoa má.

Chefe não é super-herói! Ele está na empresa para te apoiar e guiar, sempre pensando no seu desenvolvimento e sem esquecer o que é melhor para a organização. Nem sempre será possível que ele te salve de uma situação de perigo, ainda que ele queira.

Antes de dizer “meu chefe é chato”, lembre-se de entender como as situações funcionam, aceite e extraia o melhor disso tudo!

Aqui neste Blog, você encontra outros artigos sobre carreira, gestão e mercado de trabalho. Também é possível ter mais informações sobre os temas na Central do Conhecimento do site da Robert Half.

* Fernando Mantovani é gerente geral da Robert Half