Quando uma empresa deve parar de crescer?

Gerar cada vez mais dinheiro e virar gigante para dominar o mercado é o único caminho que toda a empresa deve buscar?

Se tem uma coisa que em algumas situações me gera certo incômodo em uma grande empresa é exatamente o fato de ela ser muito grande, o que chamo de gigantismo das empresas. Não que eu seja contra empresas grandes ou até mesmo contra a busca delas pelo crescimento. Creio que buscar o crescimento é importante para todas as empresas, inclusive na minha também. Mas entendo que o gigantismo das empresas, na minha opinião, muitas vezes pode atrapalhar mais do que ajudar – tanto os seus próprios funcionários como seus clientes, a cadeia de distribuição do seu produto ou serviço e até mesmo a sociedade. Como assim? Você pode estar pensando. Afinal, o mindset estabelecido em nós nos faz acreditar que ter uma empresa grande, reconhecida, que vende muito, tem altos lucros e domina o mercado é o desejo principal de qualquer empresário ou empreendedor, certo?

Talvez meu incômodo esteja em tentar descobrir qual o limite para este crescimento, ou seja: entender quando a empresa deve parar de crescer.

Pensando nisso, tentei fazer um exercício comigo mesmo a partir de algumas perguntas bem diretas – afinal, sou sócio de uma empresa, me considero um empreendedor e quero também, como já falei, que a minha empresa cresça mais.

Basicamente me fiz 4 perguntas diretas com apenas 2 opções de resposta em cada uma e eu tinha que ser muito sincero nestas respostas. Na verdade foi fácil ser sincero, afinal, as respostas foram apenas para mim mesmo e acredito que me conheço o suficiente para saber quando eu mesmo estou tentando me enganar.

Convido você também para fazer este teste abaixo, respondendo de maneira sincera consigo mesmo (sei que você também se conhece bem para fazer isso).

1 – MINHA EMPRESA TEM QUE GERAR MUITO DINHEIRO E TER MUITO LUCRO.

(  ) Sim, isso é o que importa no fim das contas.
(  ) Não, lucro é importante mas é consequência. Podemos abrir mão de uma venda ou diminuir o lucro em prol de uma causa, de valores ou de crenças.

2 – SE EU, EMPRESA, FALASSE PARA O MEU CLIENTE OU MEU FORNECEDOR QUE QUERO CRESCER PARA DOMINAR O MERCADO, COMO SERÁ QUE ELE SE SENTIRIA?

(  ) Ele teria confiança em minha empresa e seria um cliente fiel.
(  ) Ele teria desconfiança e se afastaria.

3 – EU, EMPRESA, QUERO DE FATO ME RELACIONAR COM MEUS CLIENTES DE MANEIRA ÍNTEGRA, EQUILIBRADA E TRANSPARENTE OU QUERO TER A CAPACIDADE DE CONTROLAR A RELAÇÃO E MANIPULAR O SEU COMPORTAMENTO?

(  ) Quero conseguir controlar a relação para conseguir convencer o cliente a comprar de mim sempre que eu quiser vender. Esta é a principal atribuição do meu marketing.
(  ) Quero me relacionar buscando sempre uma forma íntegra, equilibrada e transparente nesta relação. Quero falar, mas também ouvir meus clientes sinceramente.

4 – POR QUE A MINHA EMPRESA EXISTE MESMO?

(  ) Para gerar lucro para os acionistas em primeiro lugar.
(  ) Para cumprir um propósito social maior. Ganhar muito dinheiro será consequência disso.

Se você foi sincero nas respostas, tenho certeza de que em todas as perguntas você ficou tentado a escolher sempre a primeira opção, por mais que a segunda sempre parecesse mais nobre ou até mais “politicamente correta”. A primeiras opções de respostas são um caminho mais fácil, na verdade.

O fato é que por mais incomodado que eu fique com o gigantismo das empresas, talvez por ser muito idealista em algumas coisas, entendi que ser uma empresa enorme e podendo ter até um faturamento maior do que o PIB de muitos países , com é o caso da Apple por exemplo, não é realmente um problema em si.

Entendo que o problema, no final, está na clareza e consciência para se responder a quarta pergunta – Por que a minha empresa existe mesmo?

Se uma empresa tem consciência do seu propósito e encara o lucro como consequência, então conseguir se manter sempre no seu propósito é que será a condição para definir o limite do seu crescimento. Em muitos casos inclusive, a necessidade de cumprir o seu propósito vai exigir que ela cresça cada vez mais. E isso será reconhecido, valorizado e desejado pelos seus clientes que conscientemente ou não, são atraídos por este propósito.

Mas se a empresa existe apenas para gerar cada vez mais dinheiro e virar gigante para dominar o mercado é encarada como a única forma possível, pode até ser que isso funcione durante muito tempo, mas acredito que em algum momento na sua trajetória, que será mais rápida para algumas e mais demoradas para outras, esta escolha também cobrará o seu preço de alguma forma, seja através da insatisfação de seus clientes, seja através de regulamentações de mercado, seja através de infelicidade de seus funcionários e fornecedores ou mesmo em dificuldade maior de venda em crises como a que vivemos atualmente em nosso País. Faça mais um exercício e tente se lembrar de grandes marcas que sumiram e o porque disso.

E para ajudar nesta reflexão, deixo aqui mais uma vez um vídeo muito bom do Simon Sinek falando num TED sobre o que é o propósito de uma empresa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s