O que é o sucesso no Relacionamento com Clientes?

Ser o melhor e o mais reconhecido pode não ser a representação ideal do sucesso. Leia sobre a arte de Bruce Lee como exemplo para as empresas.

Assisti recentemente o filme A Origem do Dragão, que conta a história de como Bruce Lee se tornou Bruce Lee, a lenda. É curioso como a régua do sucesso pode ser algo completamente diferente do que o senso comum nos indica. Considerando que o filme seja uma passagem história e esteja relativamente próximo do que realmente aconteceu, Bruce Lee ainda não era, na época, a lenda que conhecemos hoje. Entretanto, ele já havia se tornado hábil o suficiente para criar o famoso soco de uma polegada.

Se você pratica ou já praticou algum tipo de arte marcial, compreende que um soco desferido a apenas 2,54 centímetros de distância, não é para qualquer um. De fato, Bruce Lee não foi um ser humano comum. Com uma história não muito tranquila, Bruce foi expulso do Oriente e veio para os Estados Unidos para fazer aquilo que sabia bem: dar porrada! Como um trem desgovernado e discípulo de um grande mestre marcial chinês, ele abriu sua primeira escola de luta, e rapidamente se tornou famoso por suas habilidades. A pergunta que está no cerne do filme é: “Como alguém que atingiu aquilo que o mundo define como sucesso, pode estar equivocado?”

Assim como empresas que são as maiores, as melhores e as mais reconhecidas em seu campo de atuação, Bruce Lee foi desafiado por um de seus ‘clientes’ e ‘concorrentes’. Em uma batalha sem plateia, ele e seu oponente… Bem, vamos deixar o spoiler para outro momento. O aprendizado que cheguei ao final é que ser o maior, o melhor e o mais reconhecido pode não ser a representação ideal do sucesso.

Tendo praticado arte marcial por vários anos, fico grato por Bruce ter sido desafiado ao ponto em que ele foi. Se não fosse por isso, ele jamais teria criado a conhecida prática Jeet Kune Do desenvolvida por ele. Mais do que uma lista de golpes e ferramentas, sua prática se tornou uma filosofia de vida. Ele foi um dos primeiros a trazer para o Ocidente o conhecimento de que o sucesso deve vir de dentro, de que se tornar um verdadeiro artista marcial é chegar ao limite de sua própria prática.

O destino de Bruce Lee foi trazer para o outro lado do planeta o conhecimento de práticas milenares de vida, e não, necessariamente, um novo estilo de luta. Seu legado, bem como grandes mestres que se perderam pelo caminho, não foram os filmes ou as exibições públicas de habilidade, mas sim a compreensão de que cada um de nós (e assim como cada empresa existente), tem uma habilidade única, que quando levada ao limite da perfeição se torna uma arte. Só então o sucesso chega: quando a pessoa (ou a empresa) contribui com aquilo que ela veio fazer neste mundo.

E a sua empresa, qual é a grande habilidade que ela tem latente para ser desenvolvida?

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s