O setor mais prejudicado pela greve dos caminhoneiros

Levantamento foi feito com exclusividade pela empresa de pagamentos Cielo para EXAME

As vendas do varejo caíram 15% no ápice da greve dos caminhoneiros, entre 25 e 28 de maio, em comparação com os dias similares de antes da greve. O levantamento, feito com exclusividade pela empresa de pagamentos Cielo para EXAME, mostra que o setor mais prejudicado foi o de bens duráveis e semiduráveis — o volume de vendas caiu 24% no período, seguido por serviços (perda de 20%) e bens não duráveis (queda de 6%). O brasileiro também diminuiu em 21% os gastos em bares e restaurantes, mas comprou 7% mais em supermercados.

Os postos de combustível perderam nos piores dias da greve — de 25 a 28 de maio, as vendas despencaram 46% —, mas ganharam antes e depois. Segundo outro levantamento exclusivo do aplicativo de gestão de finanças pessoais GuiaBolso, o gasto médio nos postos aumentou de 65 reais nos dias anteriores à paralisação para 91,35 reais no dia 24 e para 90,71 reais em 31 de maio, dois dias críticos da greve.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s