Mundo Verde lançará e-commerce na próxima segunda-feira

Rede de produtos naturais estima que a operação online represente de 5 a 7% de suas vendas

A Mundo Verde, rede de lojas franqueadas que comercializam produtos naturais, abrirá uma loja virtual própria na próxima segunda-feira (18). A marca busca aproveitar o crescimento do e-commerce brasileiro, que chegou a 53,2 bilhões de reais no último ano e deve crescer 15% em 2019, de acordo com a empresa de pesquisas Ebit Nielsen.

“Vimos a demanda de nossos consumidores pela comodidade de fazer compras em casa, especialmente para a aquisição programada de produtos, como um pote de whey [suplemento alimentar proteico] todo mês”, afirma Charles Martins, presidente da Mundo Verde.

Martins projeta que a operação de e-commerce represente de 5 a 7% das vendas da Mundo Verde. A rede já havia comprado a Natue, uma das lojas virtuais mais conhecidas no ramo de produtos saudáveis.

Segundo o presidente da Mundo Verde, o principal diferencial de seu comércio eletrônico estará na venda de produtos de marca própria. Hoje, a Mundo Verde possui 220 itens e pretende lançar outros 100 até o fim deste ano. Os produtos de marca própria representam 15% das vendas e devem representar 50% nos próximos cinco anos.

Veja também

Outro diferencial é a presença de 400 pontos físicos franqueados. Para evitar conflitos, o franqueado mais próximo do CEP do usuário que encomendou produtos de marca própria pelo e-commerce receberá uma porcentagem não divulgada do pedido.

No caso dos outros produtos, Martins acredita que a baixa penetração da alimentação no comércio eletrônico seja levada em consideração pelos franqueados. Nos supermercados, as vendas online representam 0,1% do faturamento, de acordo com a consultoria eMarketer.

Nos próximos meses, a Mundo Verde pretende integrar a logística desses canais. Quem pediu pela internet poderá retirar na loja física. A Mundo Verde abrirá mais 50 a 60 franquias neste ano.

Em 2018, a Mundo Verde faturou 585 milhões de reais. Para este ano, projeta uma alta de 25% nos ganhos, chegando a um faturamento de 731 milhões de reais.