Desenvolvimento pessoal em 7 tópicos

Espremendo o que os livros de desenvolvimento pessoal das últimas décadas dizem, podemos apontar algumas premissas comuns à todos...

Espremendo o que os livros de desenvolvimento pessoal das últimas décadas dizem, podemos apontar algumas premissas comuns a todos. Algumas teorias sobre motivação, foco, positividade, superação entre outros assuntos, nos direcionam para pensamentos e conclusões muito parecidas. É sobre esse universo que trata um dos artigos que li esses dias da autora americana Kathy Caprino.

Kathy contou com o expertise de uma startup chamada Blinkist – situada em Berlim – para fazer o resumão publicado. A missão da startup é conseguir extrair e traduzir dos grandes livros seus melhores conceitos e teorias, transformando-os em linguagem acessível. De acordo com a Blinklist, quando se faz uma pesquisa mais aprofundada nos livros de desenvolvimento pessoal e autoajuda, conceitos muito similares emergem, mesmo que contextualizados de maneira bastante distinta. O resultado dessa pesquisa traz à tona 7 tópicos extraídos desse macro que mais parece micro-universo.Achei interessante compartilhar por aqui:

1-Grande Cenário: Descubra o que move você.

2-Para ter um bom êxito|sucesso, pratique às máximas seu ofício e aprenda com os outros.

3-Abrace as falhas e siga tentando.

4-Seja efetivo, não apenas eficiente e livre-se daquilo que não é necessário.

5-Viva o presente e liberte-se dos pensamentos negativos.

6-Preocupe-se em criar relações onde todos ganham e cause uma boa primeira impressão.

7-Aceite sua irracionalidade inata e aprenda a lutar contra ela.

Para fechar os conceitos, um pensamento final aparecia no artigo: Faça pequenas mudanças e grandes resultados aparecerão. O que está em pauta é mudar hoje pequenos hábitos que possam ajudar numa grande mudança para um futuro, mais feliz e produtivo.

Dos 7 tópicos acima descritos, muitos já trabalhamos por aqui em matérias anteriores, todos fáceis de entender, difíceis muitas vezes de praticar. Os “7” são tão familiares que qualquer um pode se lembrar desses conceitos distribuídos em livros e mais livros disponíveis nas prateleiras. Muito já sabemos mas pouco praticamos de tudo que está listado…

Quando realmente nos livramos do que é desnecessário; daquilo que pesa na “bagagem” de nossas vidas?!

Quando estamos de fato dispostos à viver nossas relações pautadas no “ganha-ganha”?! Levar vantagem, infelizmente, ainda é uma mania bem brasileira.

Quando conseguimos priorizar o olhar positivo sobre trabalho, vida, relações, família, em detrimento ao olhar pessimista?!

Viver o presente momento então, nem se fala, passamos mais tempo transitando no passado e no futuro do que no aqui e agora. Uma antítese para excelência em nossos atos.

Aceitamos muito pouco as derrotas, esquecendo que obstáculos agregam valor à conquista.

Mesmo parecendo simples, os 7 tópicos acima estão longe de ser 100% implementados em nossas vidas. Talvez por isso autores e mais autores busquem diversas maneiras de abordar esses pontos, buscando eco em seus leitores.

Ver o Grande Cenário ou “o que te move”, encabeçando a lista também me chamou a atenção. No momento parece que essa é uma questão e tanto, existe uma corrida no ar em busca daquilo que realmente nos coloca em movimento, mas a verdade é que em nossa sociedade, praticamente nunca fomos expostos diante do desafio que é encarar nosso “Grande Cenário”. Em inglês descrito como Big Picture, ou grande quadro, figura, cenário; enfim: a macro visão de nossas vidas.

Não é à toa que quando perguntávamos pelo mundo “O que te motiva?”, grande parte dos entrevistados paravam estarrecidos diante da pergunta. Afirmavam que nunca tinham pensado sobre isso ou que essa pergunta nunca havia aparecido em suas vidas, mas ao mesmo tempo, queriam sim respondê-la.

Vivemos numa toada tão acelerada que não paramos para pensar naquilo que nos faz acordar todos os dias e seguir em frente. Descobrir nosso “Por que”, “À que viemos” ou nossa “Missão”, realmente nos coloca em movimento, nos ajuda a encontrar a espinha dorsal e o foco de nossa jornada. Indo um pouco mais à fundo, tanto nossa pesquisa volta ao mundo como estudos feitos atualmente, mostram que quando aquilo que nos move emerge de motivações intrínsecas como aprendizado, desenvolvimento pessoal, busca da excelência, entre outros, o nível de satisfação do indivíduo é muito maior do que aqueles que pautam suas motivações em fatores extrínsecos, como a busca por um grande salário, bônus ou bens materiais. Daniel Pink em seu tão conhecido livro Drive explica super bem o tema. Essa mesma métrica aparece nos 7 tópicos apontados: todos partem de uma
mudança intrínseca que provoca uma melhoria da relação de cada indivíduo com o meio em que vive.

Esse resumão parece que ilustra bem o que tem sido a busca pelo desenvolvimento pessoal nas últimas décadas. Pra ver que por mais que se busquem respostas, o universo parece se restringir sempre aos mesmos pontos que orbitam ao nosso redor. Se uma lista nos ajuda, então vale a pena dar um pouco de atenção à cada um desses pontos extraídos como sumo depois de espremer tantos e tantos livros.

Por Luah Galvão

Referências: Kathy Caprino, pesquisa Walk and Talk, Drive (Daniel Pink).

Novo-Logo-Walk-and-Talk-Horizontal-2

Idealizadores do Walk and Talk, Luah Galvão e Danilo España, realizaram 3 projetos. O primeiro foi uma Volta ao Mundo por mais de 2 anos em que visitaram 28 países nos 5 continentes – para entender o que Motiva pessoas das mais variadas raças, credos, culturas e cores. O segundo foi caminhar os 800 km do Caminho de Compostela na Espanha, entrevistando peregrinos sobre o sentido da Superação. E recentemente voltaram da Expedição Perú, onde o sentido da resiliência foi a grande busca do casal. Agora que estão de volta ao Brasil compartilham suas descobertas através de textos e histórias inspiradoras para esse e outros veículos de relevância, assim como em palestras e workshops por todo o Brasil. Descubra mais sobre o projeto: www.walkandtalk.com.br. Conheça também a página no Facebook.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s