GETAWAY COLORADO – Como viajar para Aspen e Vail por 1/3 do preço

Descubra como viajar para Aspen e Vail pagando 1/3 do preço, se hospedando nos melhores hotéis e frequentando os mesmos lugares que os ricos e famosos

Esse é o primeiro texto de uma série especial sobre dicas para viajar melhor e mais barato. 

Você fica “babando” ao ver aquelas fotos incríveis que os ricos e famosos postam no Instagram, fazendo check-inno destino mais badalado de inverno: Vail/ Aspen?

Vou te ensinar como você também pode viver esse sonho, só que pagando 1/3 do preço (ou menos). Leia até o final!

Aéreo

Vamos começar pelo vôo. A primeira dica matadora é sobre onde comprar os bilhetes aéreos.

Paguei a bagatela de R$1.687,00 [em 5x, com todas as taxas já inclusas] por um vôo de São Paulo (GRU) para Denver, Colorado– com escala em Miami na ida, e em Dallas na volta, já que não existe vôo direto – pela companhia American Airlines, na classe econômica. Se você também está buscando pelo melhor preço, te aconselho a consultar o Google Flights, um serviço de comparação de preços de passagens aéreas conhecido por poucos. E que tem preços ainda mais baratos que o Decolar, por exemplo.

Além de indicar o trajeto e o dia mais econômico para sua viagem, o Google Flights também disponibiliza uma opção de alerta de preços para um determinado destino.

Após a compra do bilhete aéreo, uma vez garantida a melhor tarifa, você ainda tem a possibilidade de fazer um upgradeno site da companhia aérea para a classe econômica premium, classe executiva ou primeira classe, a preços convidativos. Vale a pena conferir!

Dica: o site www.seatguru.com, mostra quais são os melhores acentos das aeronaves.

Como pagar barato

Mais uma dica matadora: quando viajar.

Muita gente não sabe que as estações de esqui (ski resorts) ficam abertas até a 1a quinzena do mês de Abril, ainda bem carregadas de neve. Essa é a sua oportunidade de esquiar em Vail e Aspen por 1/3 do preço, e o mais bacana, sem filas intermináveis para estacionar, alugar roupa, comer, subir as montanhas, enfim, para tudo.

[Para confirmar a data da temporada de 2019, basta clicar no site do ski resort de seu interesse]

Você deve estar se perguntando: em Abril neva? Sim! Nevou todos os 5 dias em que estive em Vail, Aspen e região. É claro que a quantidade de neve acumulada nas montanhas começa a diminuir, mas, nada que comprometa a sua diversão (e suas fotos).

Hospedagem

Um outro serviço de comparação de preços que o Google oferece é referente ao hotel. Ao digitar o nome do hotel no Google, uma listagem de preços vai aparecer a sua direita, no canto superior [com cotações do Booking, Decolar, Expedia, Trivago, Hoteis, etc]. No entanto, é sempre bom checar as tarifas oferecidas no site do próprio hotel, que muitas vezes oferece ofertas e preços promocionais.

Dica: esse é o tipo de destino onde o hotel no qual você vai se hospedar faz parte da experiência. Lareira, Spa, proximidade das montanhas, cozinha gourmet, são alguns exemplos de serviços que vão impactar diretamente a sua experiência de viagem. Então, confira abaixo minha recomendação de hospedagem em Vail [Sonnenalp Hotel] e Aspen [The Limelight Hotel Aspen], os dois hotéis mais incríveis da região, e claro, com o melhor custo benefício!

Próxima parada: Colorado

Encabeçando a lista dos melhores destinos do mundo para esquiar, o estado americano do Colorado possui dezenas de ski resortse uma vasta rede hoteleira.

As duas estações mais populares são Vail e Aspen. Vail fica a uns 192 km do aeroporto de Denver, aproximadamente 1 hora e 50 minutos de carro. E Aspen fica a 290 km do aeroporto de Denver, umas 3 horas e 30 minutos de estrada. [A distância entre Vail e Aspen é de 164 km, algo como 1 hora e 50 minutos]

Via de regra, os hotéis oferecem serviço de shuttle/ transporte (e até mesmo uma BMW como eu vou te contar a seguir). Se você pretende ficar somente nessa região, carro é uma despesa/dor de cabeça a mais.

Dica: o Colorado é um lugar mágico, suas paisagens deslumbrantes são de tirar o fôlego! Eu recomendo que você fique alguns dias a mais, alugue um carro e aproveite para visitar os lugares sugeridos lá no final do texto.

Vail

É uma cidade formada por quatro vilarejos: Cascade Village, Golden Peak, Vail Village e LionsHead, todos interligados por transporte gratuito. E possuí cerca de 5 mil habitantes. Fica em meio às rocky mountains (montanhas rochosas) típicas da região.

O lugar tem aquele jeitinho de vila “alpina” e parece ter saído de um conto infantil.

A Vail Villagetem um clima europeu, concentra uma gama de bons restaurantes, bares, lojas, spas, vida noturna e compras, como por exemplo, o bairro de Lionshead, um shopping a céu aberto. Sem contar a charmosa pista de patinação no gelo – incrível – instalada bem no meio da vila, rodeada pelo comércio e de cara para a montanha. A Vail Square fica bem de frente à pista de patinação.

Basicamente, os hotéis ficam aos pés das montanhas, as vilas têm um centrinho, onde estão as lojas de roupas, comidas e souvenires.

Deu fome? Você pode pegar uma excursão em trenós puxados por cães, pilotar “snowmobiles” (jet skis de neve) e almoçar lá nas alturas, em restaurantes como o Game Creek e o The 10th, nos quais só se chega pelos teleféricos.

Vail é a maior estação de esqui da região e o 2º maior ski resort dos EUA (ficando atrás apenas de Park City, Utah, que tem 300 trilhas). Mas, segundo pesquisas … é a favorita na América.

São muitas pistas (mesmo)! Vail agrada a todos que gostam de esportes na neve, independente do nível técnico, ao contrário do que muitos pensam.

Adventure Ridge é um parque de neve do tamanho de um estádio de futebol, que fica numa área dentro do Vail Resort. Durante toda a temporada, além do esqui e do snowboard, são oferecidas diversas atividades na neve, como Snowmobile, Snowshoeing, Tubing, Sky-biking.

A ampla variedade de terrenos agrada a todos os níveis de esquiadores e snowboarders. Há quilômetros e quilômetros de pistas “groomed” (alisadas por máquinas) na parte da frente da montanha, e para esquiadores mais experientes, ainda há os “back bowls” e “blue sky basin”. A estação, inovadora em seus métodos de elevação, inaugurou ano passado o mais veloz meio de transporte em montanha do mundo, capaz de alcançar 3.500 metros em sete minutos. Trata-se de uma gôndola fechada para até 10 pessoas com mordomias como poltronas aquecidas e internet wi-fi.

Onde se hospedar em Vail?

 (The Sonnenalp Hotel, Vail/Reprodução)

Após uma pesquisa bem minuciosa, minha escolha foi o Sonnenalp Hotel.

O hotel é super charmoso, dá a sensação que você está dentro de um cartão postal!

A decoração é belíssima, de forte influência bávara, os ambientes são super aconchegantes. A sofisticação está presente em cada detalhe, especialmente nos quartos.

E por falar nisso … o quarto foi um show a parte. Enorme! Uma sala com lareira dando aquele toque especial no ambiente. O frigobar carregado de gostosuras. Duas camas de casal mega confortáveis, lugar ideal para descansar depois de um dia de inteiro na estação de esqui. E um banheiro daqueles “de novela” – do tamanho da sala, com piso aquecido, banheira de hidromassagem, ducha, e o vaso segmentado. Sem contar o closet, que de tão grande coube todas as nossas malas/compras.

A varanda tinha uma vista lindíssima, que naquele cenário nevado ficava ainda mais bonita. A brisa gelada da manhã enchia meu pulmão de ânimo, e eu adorava deixar minhas pegadas na neve acumulada durante a noite no piso.

O carro ficou parado no valet parking do hotel (que é cobrado a parte).

O serviço é impecável, o staff  está sempre disponível, são todos muito atenciosos. O capricho no atendimento é notável, eles arrumam o quarto constantemente, deixando pequenos mimos para os hóspedes, preparando as camas antes de dormir. E, claro, deixando um delicioso cookie de boa noite! #OMG

Surpreendentemente, foi no Spa que vivi uma experiência inesquecível. Isso mesmo! O hotel tem um baita Spa, com sala de ginástica, sala de massagem, sauna, piscinas (interna/externa, quente/fria), bar e um lugar para repouso com uma grande lareira com ervas aromáticas. Mas, a grande atração são as hot tubs.

Hot Tubes

Hot Tubes (The Sonnenalp Hotel, Vail/Reprodução)

Entrei numa delas e automaticamente senti meu corpo relaxar, até aí, sem grandes novidades. De repente, eu vi um gringo “maluco” numa hot tub lá fora, debaixo de neve. Não pude me conter! Fui correndo para lá, só de maiô. Notei os floquinhos de neve derretendo na minha pele. Desci rapidamente os degraus de uma hot tub e senti aquela água bem quentinha me abraçando. A neve continuava caindo, e se desfazia no meu corpo quente, o excesso acumulava na minha cabeça e cílios. Fiquei em silêncio, olhando para o céu, observando a neve cair. Ao fundo uma linda paisagem, muito verde, cheia de pinheiros bem altos, e um braço de rio separando o hotel da outra margem. Quando me dei conta já era noite, mais de 4 horas tinham se passado. Foi mágico!

RECOMENDO!

Dica: Atenção, o próprio hotel oferece preços melhores que os sites de busca, compare aqui antes de fazer sua reserva. E lembre-se, em Abril você vai pagar uma tarifa bem mais em conta.

O melhor hambúrguer de Vail [e na minha opinião, do mundo]

Dentro do Sonnenalp Hotel está um dos melhores restaurantes da cidade, o Bully Ranch Restaurant. Eles servem o melhor hambúrguer que eu já comi na minha vida! (Sem exagero)

Se você estiver por lá, peça o “Definitive Burger” (Blue Cheese Butter, Candied Bacon, Crispy Onions – Ah, e se você for vegetariano como eu, sem problemas, peça a substituição do hambúrguer de carne pelo vegetariano … que é delicioso!)


Na minha opinião …

Localização: 9/10 Decoração e Ambientação: 9/10 Serviço e Atendimento: 10/10 Quartos: 10/10 Comes e Bebes: 9/10 Custo benefício: 10/10

Recomendo!


Para esquiar

Ladeando toda a vila, a Vail Mountain tem três bases de ascensão principais, sendo duas bem no Centro (Lionshead e Vail Village). Da maioria dos hotéis, a caminhada até elas é de em média 15 minutos.

Na região

Existem outras estações bem pertinho, como Beaver Creek (20 minutos de carro), Cooper Mountain (26 minutos de carro), Breckrenridge (47 minutos de carro), Keystone (45 minutos) e Winter Park (1 hora e 30 minutos).

Beaver Creek é uma gracinha, super aconchegante. Indicada para quem quer gastar um pouco mais. Pequena e chique é destino certo de celebridades, que se dividem entre suas 148 pistas (28 fáceis, 63 intermediárias e 57 para experientes).

As atrações fora da montanha são igualmente encantadoras: pista de patinação, spas e restaurantes elegantes, onde rolam os festivais gastronômicos e degustações de vinhos. Um dos mais agradáveis é o Beano’s Cabin, onde só se chega a bordo de um trator de neve (com cabine fechada e aquecida). Não bastasse a vista panorâmica, ele tem música ao vivo e cozinha refinada.

Em Beaver Creek você praticamente já sai esquiando do quarto do hotel: 75% das acomodações têm acesso direto à neve, sem a necessidade de pegar elevador ou ir até os vestiários e tal.

Aspen

Aspen foi o berço do ski nos Estados Unidos e não pode faltar na sua snowtrip.

É sem dúvida um dos destinos de neve mais cultuados e desejados por esquiadores e snowboarders do mundo inteiro. Frequentada pela elite, a charmosa cidade é a preferida dos brazilionaires.

Chama atenção o fato de que mesmo sendo um dos principais destinos de neve do mundo, Aspen se mantém como uma pequena vila, um lugar super exclusivo, aconchegante e charmoso, com arquitetura típica das regiões de montanha. Parece uma cidade cenográfica de tão linda (sério)!

E por falar nisso, diferente de Vail, Aspen é de fato uma cidade, que tomou corpo no ciclo da prata no final do século 19. O aspecto de “Velho Oeste” está presente nos prédios históricos [daquela época], como o Hotel Jerome e a Wheeler Opera House, bem como tantos outros prédios de estilo vitoriano que dão lugar a uma Louis Vuitton, uma Chopard ou uma Fendi, por exemplo.

A cidade é composta por poucas ruas e a população média anual é de aproximadamente 6.700 habitantes.

Com mais de 100 restaurantes e bares, e aproximadamente 200 boutiques de roupas e artigos diversos, galerias de arte e ótimas opções para compra de presentes, Aspen é o lugar perfeito para aproveitar de tudo um pouco.

Passear pelo centro é um deleite. Você vai encontrar desde lojas de marcas internacionais a boutiques exclusivas, de cafés sossegados a gourmet. Ou pode apenas aproveitar para contemplar a cidade toda coberta de neve!

Se tem uma coisa que você vai fazer em Aspen é comer bem! A gastronomia por lá é bastante requintada, e tem [boas] opções para todos os gostos e bolsos, que vão desde restaurantes maravilhosos com chefspremiados, a alternativas mais econômicas.

A “cidadezinha” é palco de eventos culturais de dar inveja a muitas cidades grandes, o calendário de eventos  é repleto de música, arte, teatro, conferências e espetáculos de dança. E antes de toda a diversão que a noite traz, a população local e os visitantes tem a oportunidade de aproveitar atividades diversas ao ar livre como caminhadas e trilhas pitorescas, rafting, cavalgadas, pescaria, escalada e ciclismo.

Mas, a grande atração de Vail inegavelmente cai do céu: é a neve local, chamada powder. Leve como pluma, chega em flocos tão finos que torna as pistas um tapete macio, o que faz com que Vail seja uma das melhores estações de esqui do mundo.

Onde se hospedar em Aspen?

Escolhi o hotel boutique, The Limelight Hotel Aspen,que está numa excelente localização, bem pertinho da montanha (Aspen Mountain / Silver Queen Gondola), dos restaurantes, bares, lojas, galerias e o museu de arte da cidade.

O hotel é lindíssimo, a decoração é prática, moderna e elegante.

 (The Limelight Hotel, Aspen/Reprodução)

O café da manhã é – incrível – servido no bar do lobby, onde tem um loungecom uma super lareira, e no lugar das paredes, muito vidro. Lá fora a neve caindo, as árvores carregadas, bem branquinhas. Logo do outro lado da rua, em frente ao hotel, o Wagner Parque, que torna a vista ainda mais linda. Me senti dentro de um conto de Natal!

O hotel é bem famoso por suas deliciosas pizzas [pequenas, há que se dizer], mas muito saborosas. São consideradas a melhor pizza da região! [Concordo]

No lobby também rola uns pocket showsa noite … lareira, drinks, boa música, um ambiente super intimista e muita gente bonita! Bom para paquerar. Mas, o hotel é bem democrático e também oferece jogos de tabuleiro para quem quer se divertir com a família.

O quarto é extremamente confortável. Muito espaçoso, segue aquele estilo clássico, banheiro, armários, cozinha americana (pia embutida, armário embutido, frigobar, microondas, cooktop, e panelas), camas enormes, TV, poltronas, e uma bela estação de trabalho. E uma varanda bem grande, que dá de cara para piscina. A cama é uma das melhores que já dormi, travesseiros de pena de ganso, lençóis finérrimos.

O banheiro tem uma ducha revigorante, roupões de banho a disposição e produtos de toalete de cortesia.

O hotel conta com sala de ginástica, pátio, uma piscina e duashot tubs(ao ar livre).

Eles disponibilizam uma van que pode te conduzir, OU … uma BMW por 2 horas (isso mesmo)! Gratuitamente!

No meu caso, deixei o carro estacionado no hotel, que possui garagem própria.

Tem alguma dúvida? Pergunte ao Peter da recepção, ele mora na cidade há mais de 40 anos.


Na minha opinião …

Localização: 10/10 Decoração e Ambientação: 8/10 Serviço e Atendimento: 8/10 Quartos: 8/10 Comes e Bebes: 9/10 Custo benefício: 10/10

Recomendo!


Montanhas em Aspen para esquiar:

Aspen Mountain (Centro), também é conhecida como Ajax, com 76 pistas e diversas áreas de fora-de-pista. Não tem pistas para iniciantes – as pistas são todas vermelhas, pretas ou double-blacks.

Aspen Highlands (4 km do Centro), é mais utilizada pelos “locais”, tem 118 pistas, grande parte de dificuldade média/alta e alta. 

Buttermilk (8km do Centro), é palco do ESPN Winter X-Games (que acontece anualmente em Janeiro, é aberto ao público e gratuito). Essa montanha é ótima para iniciantes, com 44 pistas – a maior parte delas verdes e azuis, permitindo aos begginersesquiarem desde o seu topo até à base, algo muito raro no mundo da neve.

Snowmass (14 km do Centro), é uma montanha enorme, com grande área esquiável e 94 pistas para todos os gostos e níveis de habilidade dos esquiadores e snowboarders.

Dica: as montanhas são ligadas por um sistema de ônibus circulares gratuito. As pistas abrem as 9 am, mas os ônibus já começam a rodar um pouco antes para poder levar os esquiadores / snowboarders em busca da powdervirgem, isto é, a neve que caiu durante a noite e está intocada até a abertura dos lifts. Nessas filas sorria, pois você pode estar conversando com ninguém menos que Julia Roberts, Tom Hanks, Kevin Costner ou Paul Newman. Difícil é reconhecer alguém debaixo de tantos gorros, goggles, jaquetas e turtle necks

Dica: compre o ticket dos “lifts” com antecedência pela internet. Você vai evitar as filas e garantir bons descontos.

Equipamento, o que comprar?

A maioria dos ítens está disponível para aluguel. Se você pensa em esquiar mais vezes no futuro, é uma boa pedida comprar uma calça e uma jaqueta. Você vai se surpreender com a “tecnologia” embarcada nessas roupas. Quanto mais impermeável e mais ventilada melhor.

Dica:Epic Pass é um season passque oferece acesso as montanhas da rede Vail Resorts [Vail, Beaver Creek, Breckenridge, Keystone, Crested Butte, Arapahoe Basin e Telluride]. O mais econômico é o Epic 4-Day Pass,

Bônus:

Aproveitei para dar uma esticadinha e conhecer alguns lugares imperdíveis na região, não deixe de visitar:

Denver (os parques e cervejarias artesanais)

Boulder  (Westminster, Broomfield)

Garden of the Gods, Colorado Spring

Red Rocks Park & Amphitheatre (não deixe de assistir a um show/concerto nesse lugar único!)

Telluride

Frisco

Rocky Mountain National Park (*)

Moab – Arches National Park, Utah (*)

(*)Dica:os parques nacionais são um show a parte. Não deixe de visitar!

Onde fazer compras?

Definitivamente, o melhor lugar para fazer compras é o Outlets at Castle Rock, que fica no caminho de Denver para Colorado Springs. Você vai encontrar várias barganhas – preço baixo mesmo! – em lojas como Gap, Columbia Sportswear, The North Face, Adidas, Ralph Lauren, American Eagle, e por aí vai.

Por fim, minha última dica é o app YELP, onde você pode encontrar várias recomendações dos usuários sobre lugares que já passaram.


Miniglossário — aprenda os termos mais comuns em resorts de esqui

  • Alpine ski (downhill) –É a modalidade de descida clássica da montanha, a praticada pela maioria dos turistas.
  • Après-ski (ou after ski)– A happy hour do esqui rola solta nos bares próximos da montanha. O dress code é a própria roupa de neve.
  • Balaclava– Gorro que cobre a cabeça e o rosto até o pescoço. É imprescindível vesti-la por baixo do capacete nos dias mais frios ou com muito vento.
  • Binding– Dispositivo preso no centro do esqui e da prancha de snow em que a bota é fxada.
  • Bowl – Extensão côncava e isolada da montanha onde a neve se acumula, o que atrai praticantes de of-piste.
  • Buckles– Presilhas de aço que prendem a bota de esqui no pé.
  • Bump– Ondulação da pista, indesejada nas descidas comuns, mas criada de propósito em áreas de prática avançada.
  • Cable car– Gôndola coletiva como o bondinho do Pão de Açúcar, para dezenas de pessoas.
  • Chairlift– Teleférico aberto com banco para entre duas e oito pessoas.
  • DIN setting– Regulagem usada para o esqui se soltar do pé nas quedas, prevenindo contusões. Na locação do equipamento, os dados do praticante (altura, peso, calçado, nível de esqui) são usados para calcular quão firme deve fcar o binding.
  • Edges– Bordas dos esquis, feitas de aço carbono e usadas nas curvas e freadas – ao incliná-las, elas arrastam neve e freiam a descida.
  • Fleece (ou polar)– Tecido de lã sintética usado em uma blusa intermediária entre a camiseta térmica e uma jaqueta.
  • Freestyle– modalidade cheia de manobras praticada por esquiadores e snowboarders avançados.
  • Goggles– Óculos especiais para esportes de inverno; protegem da claridade, do vento e da neve.
  • Gôndola– Teleférico fechado com capacidade para oito a dez esquiadores (esquis e pranchas de snow são transportados em um suporte do lado de fora).
  • Grooming – É o trabalho de aplainar a neve, feito por tratores à noite; as listras de “veludo” deixadas na pista pela manhã indicam que ela foi “groomed”.
  • Heli skiing– Esqui ou snowboard fora das pistas em locais que só podem ser alcançados de helicóptero.
  • Icy– Pista com neve empedrada, congelada. O termo também é usado para a superfície das calçadas em que a neve derreteu e depois congelou, ficando escorregadia.
  • J-bar e T-bar– Lifts em que o esquiador ou snowboarder sobe apoiado em um cabo, deslizando a prancha ou os esquis na neve. Também chamados de teleski ou surface lift.
  • Slope– É a encosta esquiável, o declive da montanha.
  • Snowboard boots– feitos de borracha, plástico e tecido, têm cadarços elásticos e são mais fexíveis do que as botas de esqui, o que permite uma caminhada prolongada com certo conforto nas ruas.
  • Snowplow– Posição dos esquis em forma de fatia de pizza, com as bordas internas inclinadas na neve, para frear. É o primeiro movimento que se aprende.
  • Trail ratings– Símbolos coloridos que sinalizam a difculdade da pista. Nos EUA, verdes são para iniciantes; azuis, para intermediários; e pretas, para avançados. Na Europa, verdes são para principiantes; azuis, para iniciantes; vermelhas, para intermediários; e pretas, para avançados.
  • Lean – É a postura corporal inclinada, usada no esqui, já que é a frente das lâminas que faz curvas e freadas – iniciantes tendem a jogar o peso do corpo para trás.
  • Lift– Qualquer meio mecânico de ascensão à montanha, como gôndolas e chairlifts.
  • Lipstick– Protetor labial (manteiga de cacau), companhia inseparável nos resorts por causa do ar seco e frio.
  • Nordic ski (cross country)– É o esqui em superfícies planas e leves aclives, que exigem grande força das pernas.
  • Off piste (backcountry)– É o esqui fora das pistas preparadas, em neve “virgem”, e que pode ter obstáculos como pedras encobertas pela neve e ribanceiras cheias de árvores. Acidentes em of piste não são cobertos pelos seguros de viagem.
  • Poles– Bastões de esqui, usados para dar impulso em áreas planas e cadenciar a descida.
  • Powder snow – É iniciante avançado a neve fresca, fofa, leve e seca. O dia perfeito de um esquiador inclui neve powder, céu azul e pouca gente na montanha.
  • Puf jacket – Jaqueta de náilon quente e fofa, muitas vezes forrada com plumas. Quando impermeável, pode ser usada para esquiar.
  • Ski boots – As botas de esqui imobilizam o pé e o tornozelo como gesso, protegendo-os de acidentes, mas gerando desconforto e difculdade de caminhar pelas ruas. Acolchoadas por dentro, elas são revestidas de um plástico duro, têm presilhas para ajuste e uma ponta que as prende ao binding do esqui.
  • Skiing in parallel– É a técnica principal do aprendizado, quando o esquiador sai da posição snowplow e passa a fazer curvas e freadas com os esquis em paralelo, pressionando e inclinando as bordas laterais para governar a descida.
  • Ski in/ski out – Hotéis com acesso direto à pista. São considerados uma comodidade porque o esquiador não precisa carregar o equipamento nem caminhar com as desconfortáveis botas de esqui para chegar à montanha.
  • Ski jacket– As jaquetas de neve são impermeáveis, evaporam o suor e têm muitos bolsos, utilíssimos (celular, lipstick, protetor solar, ski pass, dinheiro, cartões).
  • Ski pass– É o ingresso do esqui, o cartão de acesso aos teleféricos – e, por extensão, à montanha e à área esquiável.
Fonte: Viagem e Turismo – Editora Abril.

No verão, Vail, Aspen, e região são destinos também muito procurados para a prática de esportes ao ar livre, como caminhadas, escaladas, passeios de bicicleta, etc.

Dica: Não saia do Brasil sem contratar um seguro viagem, essa “economia” pode te custar bem caro! E vamos combinar que a probabilidade de um acidente na neve não é assim tão baixa, né? Se você não usar, que ótimo! Se você quebrar um dedinho – que seja – vai te custar uma pequena fortuna. Ou seja, o risco de não ter seguro … não vale a pena! [Eu sempre fecho o meu com o Marlon, da Oxohall Brasil Seguros, ele tem sempre os melhores preços e um atendimento excelente]

Por fim, vale ressaltar que esse artigo não é um publipost. Estou compartilhando com você minha experiência e recomendando o que realmente vale a pena!

 (Vail, Colorado/acervo pessoal)

Gostou do conteúdo? Cadastre-se aqui para ser avisado quando publicarmos um novo artigo. 

Sugestão de temas, perguntas ou comentários podem ser enviados através do espaço abaixo.

Cláudia Augelli

Leia também:

HSM Leadership Summit 2018

Como se proteger dos hackers de criptomoedas

O que não te contaram sobre o Saxo Bank