Rodrigo Maia, Renan Calheiros e Sergio Moro

Personagens que podem mudar nossa história rapidamente

A disputa pelo poder parece ser um assunto capaz de segurar os parlamentares no final de semana final de semana em Brasília e, trabalhando.

Na Câmara dos Deputados nada além do esperado, Rodrigo Maia reeleito com 334 votos. Com habilidade política o  governo já havia sinalizado uma aliança com ele que chega no seu terceiro mandato, e trafega com poucos pelos meandros do regimento e corredores daquela casa. Rodrigo Maia bem sabe como as coisas funcionam,  e pode agir com razoavel independência. Longe de ser uma garantia de aprovação de medidas ou assuntos que interessam ao Brasil na pauta, na verdade é o jogo que deve ser jogado. Para o mercado financeiro vale a máxima “no news is a good news. 

No Senado: Ooooo coisa louca que aconteceu. O Senado mais parecia a Câmara, tamanhas as discussões acaloradas ocorridas e demora em finalizar um processo.  A esperança de alguma mudança venceu e, Renan Calheiros perdeu. Retirou sua candidatura ao verificar que seria eleito com pequena margem , ou sequer seria eleito. Então, com 42 dos votos, Davi Alcolumbre do DEM-AP passou a ocupar a cadeira a presidente do Senado. Acredito que algo positivo existe nisso, no mínimo um reflexo das mudanças que o eleitor promoveu naquela casa. O recado das urnas foi: Chega do mesmo.

Agora ambas as casas precisam continuar a mudar o país. Chega de bla bla bla, chega de mi mi mi. ainda temos quase 50% da população sem saneamento básico, ensino precário e um campo fértil para o populismo. Precisamos evoluir como sociedade, para todos sermos mais ricos e prósperos.

O governo tem inúmeros desafios, mas aprovar a reforma da previdência já não parece o maior deles  depois que vi as propostas do ministro Sergio Moro para combater o crime organizado (veja que organizado é o adjetivo).

Mauro Calil é fundador da Academia do Dinheiro