Qualquer império pode ruir.

Não existe empresa blindada

Em períodos de crise econômica é muito comum ouvir-se a falência de empresas.

Isto não se restringe às pequenas e tem abrangência global. Acontece quando a empresa se tornou inviável financeira e/ou economicamente. Esse processo consiste,  basicamente, em liquidar os ativos da devedora e repartir o resultado entre os credores. É sempre muito duro para o empresário e os custos do processo são elevados.

Muitos impérios já desabaram, VARIG, PANAM, empresas X e outros estão entrando para a lista, demonstrando que nenhuma empresa está ou é blindada.

O empreendedorismo precisa ser estimulado para gerar empregos e não dependermos de governos e de contingências econômicas e, principalmente do discurso falacioso de que estatais e mercados protegidos são boas alternativas para a atividade econômica. 

Nem mesmo a fama pode te blindar. Recentemente, o  chef Jamie Oliver, famoso por seus programa de televisão e livros de receitas, anunciou a falência de seus restaurantes.  A maioria dos estabelecimentos envolvidos pertencem à cadeia italiana de Jamie, lançada em 2008. Cerca de 25 restaurantes devem ser afetados e 1.300 empregos estão ameaçados.

No início de 2017, o chef já havia anunciado o fechamento de seis estabelecimentos da cadeia italiana de Jamie no Reino Unido. Ele acusou o Brexit de ter causado um aumento dos preços devido à desvalorização da libra esterlina  que ocorre desde o referendo de junho de 2016. Isto causou o aumento dos preços dos ingredientes usados para o preparo de seus pratos italianos.

Ora, vamos combinar que o preço de um prato em qualquer restaurante não equivale ao valor nutricional ou de seus ingredientes comprados a varejo por quem quer que seja, quanto mais no atacado para uma rede de restaurantes. Que desculpa esfarrapada para a uma gestão azeda.

O caso de Oliver é mais uma amostra que os impérios podem ruir. Cuidado ao empreender.

Mauro Calil é fundador da Academia do Dinheiro