Como manter o controle após um investimento equivocado

Como conservar o equilíbrio emocional após investir de forma errada e perder todo o dinheiro empregado na jornada?

Este é um tema bem interessante e representa um fato que já aconteceu, inclusive, comigo.

Podemos dizer que a situação relatada vem se repetindo de forma contumaz no País, principalmente entre os milhões de brasileiros que foram demitidos de seus empregos e apostaram as suas rescisões trabalhistas e algumas economias no empreendedorismo. Nesse cenário de incertezas, tanto pessoais quanto econômicas, muitas vezes, a empreitada acaba não dando certo e todo o investimento feito vai por água abaixo.

Mas, como evitar este tipo de impasse ou se precaver de perder totalmente o controle da situação? Hoje, vou indicar algumas medidas profiláticas, ações que devem ser colocadas em prática para que você se proteja de tal infortúnio.

Primeiro, aquela boa e velha máxima: não coloque todos os ovos em uma única cesta! Se você está entrando em um novo projeto, principalmente relacionado ao empreendedorismo, e quer investir, comece com uma pequena franquia, por exemplo, com um investimento inicial de até R$ 30 mil – esta hipótese vale para um cenário cujo montante total da sua conta bancária seja de R$ 300 mil. Dessa forma, você está alocando apenas 10% de tudo o que tem no seu sonho e ainda manterá um colchão financeiro, que poderá ser utilizado no caso de imprevistos.

Então, por que não é adequado investir 50%, 60% ou 70%? Muitas pessoas têm a crença de que quanto maior for o valor do aporte, mais sucesso vai atingir. E, obviamente, isso não é verdade. Não é a quantidade de dinheiro depositada na iniciativa que vai determinar o seu êxito e, sim, o engajamento, a dedicação e, sobretudo, a execução de uma ideia factível e vencedora. Portanto, reafirmo que 10% é uma boa quantia, pois, ainda que ninguém queira se desfazer de nenhum centavo nesta vida, esse percentual, se perdido, não o deixará literalmente “quebrado”.

Porém, e nos casos em que o investimento já foi ruim e a pessoa está no prejuízo? Eu, por exemplo, já perdi duas vezes todos os meus recursos, até mesmo o meu primeiro milhão. A outra dica para não se expor a uma crise de desespero é, quando pensar em investir em um negócio próprio, ter outras fontes de renda.

As duas alternativas citadas, ou seja, investir uma pequena fração do que se tem e ter diferentes fontes de renda vão fazer com que você encare uma possível perda como uma lição, um aprendizado, e consiga reunir forças para uma próxima oportunidade, com mais conhecimento, experiência, pé no chão e chances de vitória.

Enriquecer é uma questão de ter e seguir um bom plano!

Mauro Calil é fundador da Academia do Dinheiro

Veja também o vídeo relacionado a este artigo: