Pentacapeão Edmílson preside novo clube para formação de atletas

Com Futebol Clube Sky Brasil, ex-atleta firmou sociedade com o grupo japonês Skylight Inc. e focará a base do futebol nacional

No mesmo dia em que completou dezessete anos de um gol acrobático (“de bicicleta”) marcado contra a Costa Rica por Edmílson no Mundial de 2002, foi feito o anúncio do projeto do Pentacampeão. Em sociedade com o grupo japonês Skylight Inc. foi lançado o Futebol Clube Sky Brasil, em Santana de Parnaíba (SP), município que abriga o Centro de Formação de Atletas do clube, local escolhido para moradia e treinamento dos jovens, agora batizado como Centro de Formação de Atletas Professor Telê Santana.

A identidade visual do FC Sky Brasil foi desenvolvida pela agência Brandigno, recentemente contemplada com “Honorable Mention” no DNA Paris Awards 2019. A mesma utilizou os pilares estruturais da identidade do clube para criar sua marca. Vítor Ricci, gestor de marketing e comunicação do clube e da Fundação Edmílson, apontou como se deu a estratégia original de inserção de imagem: “Buscamos aliados que se preocupassem em entender o que queríamos e queremos transmitir e não nos rendemos a trinta e duas possibilidades anteriores às versões finais, criando uma comunicação assertiva para o clube”, disse o executivo.

O Centro já conta com oito habitações coletivas de dois quartos cada, em alvenaria, no modelo de “chalés”, refeitório, piscina aquecida, espaço para fisioterapia, academia, vestiários e campo de grama natural. Pode abrigar até noventa e seis pessoas, passa por reformas, e estará pronto para alojar os elencos em sua segunda etapa (de um total de cinco), no fim de julho. Em 01 de agosto iniciam-se os treinamentos. Domingos Augusto Tedim, Diretor de Planejamento Estratégico e Administrativo-Financeiro do projeto, expôs os pontos que podem construir um clube formador com boas possibilidades de sucesso: “Queremos conhecer e trabalhar nossos potenciais atletas desde os dez anos, para que aos catorze os mais preparados e alinhados consigam se integrar ao clube como ‘alojados’ devidamente integrados ao que pensamos”. O Esporte Executivo conversou rapidamente com Edmilson sobre o projeto:

O Brasil ainda é, para os asiáticos, o berço de ouro para lapidar talentos?

O Brasil ainda é muito bem visto no Japão quando falamos de exportação de atletas, mas nosso projeto foi desenhado junto à Skylight com foco especial na educação dos atletas. Não há como negar que um país como o Brasil, que em 2017 exportou 820 atletas à média de US$.316 mil, deve encarar isso como um mercado relevante que integra negócios e investimento social. O futebol transforma a sociedade e gera renda, e isso deveria ser uma política estratégica pública. O objetivo financeiro e mercadológico do clube é formar atlética e socialmente matéria-prima para os mercados da Ásia (prioritariamente) e Europa, enviando atletas que sejam educados através da nossa metodologia .

Qual a expectativa esportiva do projeto?

Desde que parei de jogar futebol profissionalmente busquei me qualificar nas áreas diretamente ligadas ao esporte, da parte técnica até a gestão. Era um desejo pessoal voltar a trabalhar intimamente com o futebol. Fiz certificação para Técnico da CBF, atuei na Imprensa, entendi o mercado de intermediação de atletas, atuei como Vice Presidente do Comitê de Reformas da CBF, desenvolvi com minha equipe uma metodologia de ensino e desenvolvimento futebol e tive a distinção de fazer um curso de gestão de clube proporcionado pelo Barcelona e sua Associação de ex-jogadores. Foram anos de aquisição de conhecimentos e experiências para poder dar segurança num investimento como este à Skylight para trabalhar com a Base do futebol brasileiro, além de ter convicção de que temos muito a fazer pelos nossos jovens na visão social. Atualmente a juventude é lamentavelmente minimizada em seu potencial no Brasil, e por isso meu objetivo é trazer um novo conceito de formação, atlética e pessoal para eles. Teremos um time do Sub-17 e um do Sub-15 para disputar competições e também temos o intuito de educar os jovens desde o Sub-11 e Sub-13, para que façamos um acompanhamento dos garotos desde cedo.

Por que São Paulo e, especificamente, Santana do Parnaíba?

A escolha por Santana de Parnaíba se deu por uma série de fatores importantes. Para você alojar jovens, é preciso ter segurança, e nós estamos em uma cidade das regiões metropolitanas mais seguras; é preciso ter educação, e Santana teve o maior crescimento de IDEB; e aqui também há destaque pela saúde. Desde as primeiras conversas com o Prefeito Élvis Cézar, houve o interesse mútuo de ter um clube de futebol no município e encontramos uma estrutura perfeita para isso que é  o Centro de Formação de Atletas que batizamos de Professor Telê Santana. Além disso, fui morador de Santana de Parnaíba durante muitos anos após retornar da minha carreira em clubes europeus, e é aqui onde tenho minha casa, meu escritório de negócios, meus amigos e principalmente uma imensa sensação de bem-estar quando estou. Voltei a residir em Barcelona em 2017 para dar conta de uma série de demandas profissionais num ano prévio a uma Copa do Mundo. Além de embaixador da Fundação Barcelona, também sou embaixador da Liga Francesa de Futebol e embaixador internacional da AACD. Estas funções acabam me demandando muitas viagens ao redor do mundo, o que também me levou a morar lá por conta da logísticas. Com este marcante projeto do clube tenho vindo para o Brasil uma vez por mês e em um futuro próximo devo retornar com a família para Alphaville. Aqui estamos próximos ao Centro de Formação Professor Telê Santana, onde os atletas morarão, ao nosso escritório, e vivemos bem.