NBA Basketball School cresce estruturado no Brasil

Programa teve início no país em 2018 e já apresenta atuação consistente

A NBA tem o NBA Basketball School, programa direcionado a clubes, academias, escolas e/ou entidades que já possuam equipes ou tenham o interesse em promover o basquete, com capacitação de atletas e técnicos a partir de treinamentos ministrados por instrutores da NBA. Em 2018 quatro cidades da Índia (Mumbai, Punjab, Nova Délhi e Pune) foram contemplada e, ainda em 2017, já haviam sido inaugurados núcleos na Grécia e na Turquia. O NBA Basketball School atende meninos e meninas de 6 a 18 anos, na iniciativa que faz parte dos esforços da liga no país, assim como as plataformas jr. nba, America’s Team Camp e Basketball Without Borders (Basquete Sem Fronteiras). No Brasil, o programa NBA Basketball School tem se expandido de forma vertical. Se a proposta inicial era de disponibilizar até 20 licenças em 2019, em poucos dias todas as chancelas foram preenchiudas e chegaram a 32 unidades. Já são mais de 5.000 alunos atendidos e o programa alcançou estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Sergipe, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Santa Catarina, Bahia e Rio Grande do Sul, entre outros.

A organização se surpreendeu não apenas pela adesão, mas com a proporção ‘nacional’. Comparando com outras iniciativas com perfil semelhante – escolinhas de clubes de futebol e outras -, nenhuma delas tem o alcance que o NBA Basketball School oferece. A NBA tem trabalhado pela expansão e massificação da modalidade, aproximando o público do basquete (faixa etária muito importante para o crescimento do esporte em todos os níveis). Com o NBA Basketball School presente, de forma organizada e eficiente, a NBA chega a lugares onde a liga demoraria ainda um pouco para estar presente (fisicamente) e onde o esporte, especialmente falando de base e massificação, não chega. Entre os núcleos, temos clubes ‘de camisa’, como Flamengo, clube com origem de formadores, como o Minas Tênis Clube, a Caldense (clube que revelou o armador Raulzinho, atleta da Seleção Brasileira e da NBA, e que tem o pai, Raul Filho, como um dos gestores do basquete), o Colégio Bandeirantes (bicampeão em 2018-2017 e vice-campeão este ano do torneio masculino da jr. nba League), academias…

“É gratificante, mas ao mesmo tempo um desafio enorme, abrir o primeiro ano do programa com quase 70 unidades espalhadas por quase todo o país, atendendo os mais diferentes modelos de negócios. Hoje temos núcleos em escolas, academias, clubes, vemos o envolvimento de grandes nomes do basquete. Temos uma marca muito forte e um propósito muito nobre: massificar o esporte com base em conceitos e valores que vão além das quadras, que ajudam na formação de cidadãos de bem num ambiente saudável” aponta Arthur Borelli, da Think Sports, agência parceira da NBA na implantação e supervisão do programa. “Estamos muito felizes com esse crescimento, com a forma como o programa está se expandindo pelo país, onde e como está chegando. Estamos criando oportunidades para meninos e meninas, jovens que são apaixonados ou estão se apaixonando pelo esporte e por todos os benefícios que ele oferece. Estamos impactando milhares de vidas, milhares de famílias, usando uma metodologia própria, pensada especificamente para que tenham o melhor da NBA em seu dia a dia dentro de quadra, mas que possam levar ensinamentos e conquistas para a vida” afirma Rodrigo Vicentini, Head da NBA no Brasil.

O Colégio Salesiano Santa Teresinha foi um dos inscritos que adotou o Programa NBA Basketball School. O Salesiano aponta que a modalidade inspira crianças e adolescentes e por ser uma modalidade coletiva, tem um componente forte de cooperação, trabalho em equipe, disciplina e controle emocional. Por essas razões, buscou ser uma unidade licenciada pelo programa do NBA Basketball School. “A missão da escola é ser uma comunidade educativa aberta aos desafios da realidade em que está inserida, incentivando atitudes de respeito pelo pluralismo de ideias, aberta ao diálogo e à democratização da cultura. Com o NBA Basketball School isso se intensifica, pois inspira e proporciona aos jovens atletas a oportunidade única de desenvolvimento por meio de técnicas de treinamento globalmente validadas”, explica Luiz Alves, profissional de esporte do Salesiano.

A NBA vem mostrando ao Brasil o potencial de crescimento que a modalidade tem por aqui. Mais do que isso, proporciona à quem por ela se interessa um canal direto de relação com a marca NBA. Estamos realmente evoluindo no Brasil sobre isso e, ao menos com a NBA, temos tido a altivez de nos permitirmos aprender.