Live Arena aposta em cursos EAD para o já bilionário mercado de eSports

Segmento já apresenta necessidade de maior profissionalização. O Brasil é, hoje, o terceiro país com mais jogadores no mundo - cerca 66 milhões de pessoas.

Mercado crescente, os esportes eletrônicos estão dando novos passos para desenvolver a profissionalização do setor. Inaugurada há cerca de dois anos, a Live Arena agora oferece cursos de Pro Player (jogador profissional) de League of Legends, em aulas presenciais em São Paulo e ensino à distância (EAD) para todo Brasil.

O conteúdo foi desenvolvido pela consultoria especializada em conteúdo gamer, a nøline, que administra a Live Arena, primeira arena multiuso voltada exclusivamente para o ecossistema gamer no Brasil. O material didático foi desenvolvido em parceria com o SER Educacional, mantenedor de mais de 60 instituições de ensino superior no país.

“Estamos falando de um mercado que tem movimentado bilhões nos últimos anos. Mas não só isso. O principal é que o game virou um movimento sócio-cultural global, que está crescendo, se profissionalizando, e por isso que as perspectivas são boas. A produção de conteúdo é um dos carros-chefe há algum tempo, com o game/eSports sendo um nicho muito forte. Há uma demanda muito grande e queremos auxiliar na formação desses profissionais”, afirma Rodrigo Rivellino, sócio da nøline e idealizador da Live Arena, ao blog Esporte Executivo.

Os alunos têm três modalidades disponíveis para se matricular: Pro Player (League of Legends), Criador de Conteúdo e Cosplayer & Cosmaker. As aulas terão duração entre dois e três meses. Com valores a partir de R$300,00 os estudantes terão a possibilidade de acompanhar conteúdos exclusivos que exploram as dinâmicas comportamentais e técnicas aplicadas no dia a dia dessas profissões. A plataforma EAD terá material escrito, videoaulas e fórum entre os alunos. Adriana Noronha, sócia da nøline e uma das idealizadoras e também educadoras no projeto, analisa mais uma etapa do trabalho: “É o início efetivo do nosso grande movimento do EAD. Estamos fomentando um novo caminho no ecossistema gamer, dialogando com a educação. Buscamos inspirar novos talentos e provocar mudanças de cultura e de comportamento”.

De acordo com pesquisa divulgada pela Newzoo, o mercado de esportes eletrônicos deve movimentar mais de US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 4 bilhões) em 2019. Leva em consideração valores de patrocínios, publicidade, produtos, ingressos e taxas das desenvolvedoras dos jogos. As duas maiores regiões que devem contribuir para a receita são a América do Norte e a China. É previsto que, em 2022, os eSports gerem US$ 1,8 bilhão (cerca de R$ 6,7 bilhões) ao ano.