Allianz Parque amplia oportunidades e fecha patrocínio de consumo

Arena do Palmeiras começa a comercializar Sorvetes Rochinha em jogos e shows, apresentando novo modelo de patrocínio para o estádio

Os frequentadores do Allianz Parque já desfrutam de um cardápio variado durante os jogos do Palmeiras e shows, com direito a pipoca, hot-dog, pizza, restaurante japonês. Mas isso tende a ampliar já que a arena acaba de assinar um novo patrocínio, pelos próximos três anos, com a Sorvetes Rochinha, uma das principais marcas de picolés do Brasil.

A empresa, reconhecida pelos seus sorvetes de fruta pura, começou a sua operação em junho, durante a partida entre Palmeiras e Athletico Paranaense. Os sorvetes já estão à venda em todos os pontos do estádio, inclusive com os vendedores-móveis, e nos camarotes da arena. Por enquanto, o palmeirense poderá encontrar seis sabores tradicionais da marca dentro do Allianz Parque: coco branco, milho verde, chocolate, tangerina e açaí com guaraná. Além dos sabores clássicos, a Rochinha lançará no segundo semestre um picolé exclusivo para os frequentadores do Allianz Parque.

A parceria com o Sorvetes Rochinha revela um novo posicionamento da arena, que agora passa também a fechar acordos de patrocínio de consumo. “Além do Naming Rights e do Sector Naming Rights, vimos uma oportunidade em fazer parcerias com empresas de consumo. Esse é o pontapé inicial de uma nova fase de negócios, que irá trazer outra fonte de receitas para a arena”, explica Rogério Dezembro, CEO da Bravo Live, responsável pela gestão da arena. A Rochinha Sorvetes vê o patrocínio do Allianz Parque como um marco: “É uma conquista muito representativa para nós, para nosso processo de crescimento. É um grande investimento em marketing desde a profissionalização da empresa há cinco anos e estamos em um estádio com um público íntimo da marca”, ressalta Lupercio Moraes, CEO da Sorvetes Rochinha.

O Allianz Parque dá sinais robustos de boa gestão de negócios nos últimos anos e ampliar sua captação ao patrocínio de consumo faz chegar em um novo patamar. Porque, por mais absurdo que pareça, a manutenção de um estádio de primeira grandeza exige acertos comerciais que podem ser tão difíceis quanto sua construção em si.