60 dias para a Copa América: entrevista exclusiva com o Comitê Organizador

Última vez que o país sediou o evento foi em 1989, trinta anos atrás

Hoje, dia 15 de abril de 2019, marca o prazo exato de 60 dias para o início da CONMEBOL Copa América Brasil 2019. A competição vem ao Brasil depois da onda de grandes eventos esportivos em terras tupiniquins (Copa do Mundo e Olimpíada). Para navegar nas ondas da competição que jogará novamente os holofotes ao futebol da América do Sul, o Esporte Executivo conversou com exclusividade com Agberto Guimarães, Diretor de Operações do Comitê Organizador Local da CONMEBOL Copa América Brasil 2019.

Crédito: Alex Ferro | COL Copa América Brasil 2019

Crédito: Alex Ferro | COL Copa América Brasil 2019 (Crédito: Alex Ferro COL Copa América Brasil 2019/Divulgação)

Como é para a organização voltar ao palco da penúltima Copa do Mundo com a responsabilidade de repetir um grande evento?

A responsabilidade é enorme. Ao mesmo tempo, representa a oportunidade de estabelecer um marco na organização da Conmebol Copa América Brasil 2019. O torneio retorna ao país após 30 anos e encontrará uma infraestrutura completamente diferente e com o que há de mais moderno no mundo.

Temos estádios que superam todos os requisitos técnicos, que oferecem o máximo de conforto ao fã do futebol, e profissionais no Comitê Organizador Local com enorme experiência adquirida na organização dos últimos grandes eventos esportivos realizados no país.

Vamos mostrar ao mundo como o continente sul-americano vibra com sua paixão pelo futebol. A última Copa do Mundo FIFA, na Rússia, mostrou como os torcedores sul-americanos fazem a diferença nos estádios, com a sua forma diferenciada de torcer por suas seleções. Na Conmebol Copa América Brasil 2019 não será diferente. Tenho certeza de que será uma grande festa.

Quais os procedimentos que o Comitê Organizador implementou para essa competição para que se tenha melhorias na disputa?

Nossa premissa é oferecer as mesmas condições técnicas para as seleções participantes. Por exemplo, nenhuma seleção terá base fixa durante a Conmebol Copa América Brasil 2019. O modelo será dinâmico, com todas as equipes viajando pelas sedes, inclusive o anfitrião Brasil. Vamos oferecer também a todas as seleções a possibilidade de obterem vídeos táticos com estatísticas de todos os 26 jogos.

A entidade fala em tornar a disputa mais justa, oferecendo condições técnicas iguais a todas as seleções sem benefício algum para o país-anfitrião. Há alguma sensação interna de que em algum momento passado não foi assim, mesmo que involuntariamente?

Não, só acreditamos que esta forma de disputa traz equilíbrio técnico a todos os participantes.

Quais são os grandes desafios de legado esportivo para um país que sediou o maior evento da modalidade poucos anos antes da Copa América?

Eu diria que é a nossa missão é realizar uma competição de excelência pautada na transparência e eficiência na utilização dos recursos 100% privados.  Como legado, por si só, a constituição de um Comitê Local para organizar a Conmebol Copa América é uma iniciativa inédita na história do torneio.

O formato de planejamento foi idealizado levando em consideração a experiência brasileira na realização de grandes eventos esportivos, aliada ao interesse da CONMEBOL de construir um legado de conhecimento que possa ser utilizado por futuros organizadores das próximas edições da Copa América ou até mesmo de outros eventos de domínio da CONMEBOL.

Por exemplo, deixaremos para os futuros organizadores um caderno de encargos, uma Matriz de Responsabilidades entre os principais stakeholders, manuais operacionais dos estádios e cerca de 100 políticas e procedimentos que normatizam as atividades de diversas áreas operacionais de um Comitê Organizador.

Adotamos um modelo de planejamento e entrega de evento esportivo que é simples, eficaz e fácil de ser replicado para outros eventos da Conmebol.

A globalização faz com que os eventos esportivos sejam cada vez mais vistos mundo afora. Qual o tamanho da Copa América no contexto atual?

A Conmebol Copa América é o mais antigo torneio de seleções do mundo. É rica em história e reúne seleções com nove títulos da Copa do Mundo FIFA, com algumas das principais estrelas do futebol mundial em campo. Tudo isso traduz o tamanho do evento no cenário internacional.

Quantas pessoas ao todo envolvidas no trabalho para essa competição e como está organizado o trabalho?

O Comitê Organizador Local adotou a metodologia da criação de áreas funcionais, que desenvolveram suas atividades a partir de cronogramas e datas-chave de entregas.  Somente na sede do comitê são 95 pessoas. Mas a CONMEBOL Copa América Brasil 2019 terá a participação de aproximadamente 27 mil colaboradores, entre contratados e temporários.

É pensado um trabalho específico para as redes sociais durante o evento?

Sim, teremos um trabalho específico para as redes sociais, com a produção de conteúdo exclusivo para cada uma das 12 seleções participantes. Isso vai aproximar ainda mais os torcedores com o torneio.

Outro ponto importante é que a CONMEBOL Copa América Brasil 2019 deixará também um legado digital. Antes, o torneio não tinha uma voz unificada no ambiente digital porque os domínios, seja nas redes sociais ou site oficial, não estavam com a Conmebol. Todos foram recuperados (@copaamerica e copaamerica.com) e seguirão para as futuras edições, contribuindo com fidelização da marca nesse ambiente. Há um espaço enorme para o crescimento da base de fãs.