VW atualiza Passat com tecnologia de avião de combate

Modelo chegará com sistema similar aos recursos usados em aviões como o F-16 para enfrentar a rival BMW

Munique – A Volkswagen atualizará o Passat, seu sedã mais vendido, com uma tecnologia de segurança inspirada em aviões de combate para atrair compradores de carros de marcas de alto padrão.

Quando for à venda, no quarto trimestre, o modelo convencional será o primeiro carro disponível da VW com um head-up display.

O sistema – similar aos recursos usados em aviões como o F-16 – projeta informações como velocidade e instruções de navegação em uma tela retrátil acima do volante para manter o foco do motorista na via.

Outras opções de segurança de alta tecnologia incluem funções que podem parar o carro de forma autônoma se o motorista pegar no sono.

“Os concorrentes têm dificuldades para manter o ritmo da VW”, disse Juergen Pieper, analista do Bankhaus Metzler em Frankfurt. O Passat, que foi apresentado ontem em Potsdam, Alemanha, e é um dos quatro modelos que mais produzem lucro para a Volkswagen, “parece destinado a manter o domínio da VW no segmento”.

A Volkswagen busca recuperar sua liderança no mercado europeu de sedãs depois que as vendas do Passat ficaram atrás das do Série 3 da Bayerische Motoren Werke AG no ano passado.

Isso significa atrair compradores com uma tecnologia normalmente reservada para modelos de luxo.

A VW pode bancar os recursos porque o carro compartilha de componentes importantes com modelos como os compactos Golf e Audi A3, o que diminui os custos.

Defender seu reduto tradicional é fundamental para a fabricante com sede em Wolfsburg, Alemanha, em sua busca por triplicar a lucratividade de sua marca de mesmo nome.

Impulso poderoso

O Passat “introduz tecnologias e recursos no mercado médio que, de outro modo, estão disponíveis apenas nos segmentos mais elevados”, disse o CEO Martin Winterkorn no lançamento. “O novo Passat dará um impulso poderoso à Volkswagen”.

As vendas do Passat na Europa, seu principal mercado, deverão aumentar 65 por cento no ano que vem, para 228.000 veículos, superando o Série 3 e o Mercedes Classe C, da Daimler AG, em busca da liderança do segmento, segundo a IHS.

As vendas do Ford Mondeo, o concorrente mais próximo no mercado popular, deverão ser de menos da metade do nível do Passat.

A VW complementa a nova tecnologia com um visual mais elegante para o novo Passat, que é menor que a versão americana. O carro é vendido a partir de 25.875 euros (US$ 35.200), pelo menos 3.400 euros mais barato que seus rivais da Mercedes-Benz e da BMW.

“É um mercado ferozmente competitivo que funciona por meio de precificação, incluindo a prática de dumping nos preços”, disse Frank Ostermann, diretor-geral da vendedora de automóveis Rosier Group, de Menden, Alemanha.

“O novo modelo parece mais atrevido e significativamente mais atrativo, mas, principalmente, ainda continuará sendo um carro bom de vender”.

A rede Rosier Group, que vende veículos VW, Mercedes e Peugeot em mais de 10 lojas no norte do país, planeja atrair compradores parcimoniosos do segmento oferecendo petiscos e cappuccino quando o sedã chegar às suas concessionárias.

A VW, que planeja triplicar sua linha de SUVs, atualmente oferece apenas o compacto Tiguan, de 24.725 euros, e o Touareg, de alto padrão, a 50.850 euros, no segmento. Até que os novos SUVs cheguem a VW precisa da oitava geração do Passat para atrair compradores da BMW.

“A batalha da marca VW é efetivamente a de desenhar uma linha onde o segmento premium termina e o mercado de massa começa”, disse Mike Tyndall, analista da Barclays Capital em Londres.

Com os novos recursos para o consumidor e a redução dos custos de fabricação, o Passat deve provocar uma “melhora significativa” no lucro da VW.