Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Vivo libera ligações por Wi-Fi para usuários de iPhone

O novo recurso da operadora é similar ao aplicativo TU Go e deve aumentar a cobertura da empresa em todo o Brasil

São Paulo – Os clientes da Vivo que possuem iPhone agora podem fazer ligações a partir da internet Wi-Fi. Para utilizar o recurso, o usuário só precisa atualizar o sistema para o iOS 9.3 – que foi liberado para download nessa segunda-feira (21) pela Apple — e ativar as ligações via Wi-Fi nos ajustes do smartphone, na opção “telefone”.

Similar ao WhatsApp, a ferramenta permite que os clientes da empresa façam chamadas de voz a partir de uma conexão sem fio. Por meio desse recurso, é possível enviar mensagens de texto para clientes de outras operadoras.

A liberação das ligações via Wi-Fi significa que o usuário terá uma cobertura maior, podendo fazer chamadas de vários lugares onde o sinal da Vivo não chega. Além disso, as ligações podem ser feitas para clientes de outras operadoras e telefones fixos.

Outra característica interessante da função é que a pessoa que fizer uma ligação internacional não irá precisar pagar as taxas de roaming, se realizar ligações por Wi-Fi. Nesse caso, essas chamadas terão o custo de uma ligação local – o que gera economia na conta.

O uso do novo serviço será cobrado de acordo com o plano do cliente (seja ele pré ou pós-pago), como é feito com o TU Go, o app de ligações e mensagens da Vivo.

Primeira operadora a liberar o recurso no Brasil, a Vivo é conhecida por criticar aplicativos do tipo OTT (Over The Top, termo usado para designar apps que funcionam com o serviço das operadoras como base, sem pagar os mesmo impostos), como WhatsApp e Viber.

Amos Genish, presidente da Vivo no Brasil, disse na convenção Futurecom 2015 que a aplicação de voz do WhatsApp e o uso de número de operadoras sem pagar à companhia são inaceitáveis.

Atualização 14h30 23/03/2016 – A reportagem foi alterada com esclarecimentos da operadora Vivo.