Universidade desenvolve app que rastreia racismo na internet

Criado pelo Laboratório de Estudos em Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, o monitor será lançado este mês

São Paulo – Um aplicativo vai monitorar postagens de ódio, racismo e intolerância nas redes sociais.

Criado pelo Laboratório de Estudos em Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, o monitor será lançado este mês, a pedido do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Neste domingo, dia 1º, a atriz Taís Araújo revelou ter sido vítima de racismo na internet. O mesmo aconteceu com o meia Michel Bastos, jogador do São Paulo.