Twitter faz cinco anos com 190 milhões de usuários

O site é o nono mais acessado na web e, mesmo depois de cinco anos de funcionamento, praticamente não tem concorrente direto

São Paulo — Parece que foi ontem, mas já faz cinco anos que Jack Dorsey, Biz Stone e mais uma equipe de desenvolvedores começaram a trabalhar na criação do Twitter. A data foi relembrada pelo próprio Dorsey, ontem, em sua conta no microblog. “Há cinco anos, nós começamos a programar o Twitter (‘twttr’ em sua forma reduzida). Oito dias depois, foi enviado o primeiro tuíte”, diz ele.

A primeira mensagem foi publicada por Dorsey no dia 21 de março de 2006 e convidada outros desenvolvedores a aderirem ao microblog. Dorsey também postou em seu Tumblr uma das conversas que ele manteve com Stone no início dos trabalhos. De acordo com ele, a equipe inicial era pequena. Noah Glass sugeriu o nome; Dorsey e mais um desenvolvedor fizeram a programação; Biz Stone, o design; enquanto Evan Willians coordenava os trabalhos.

O nome do site veio do dicionário Oxford, onde era definido como “uma pequena explosão inconsequente de informações; silvos dos pássaros”. Inicialmente, o serviço podia ser atualizado somente por meio de mensagens SMS enviadas por celulares.


A grande explosão do Twitter aconteceu na edição de 2007 do festival South by Southwest (SXSW), quando o número de mensagens publicadas no site saltou de 20 mil para 60 mil por dia. Na ocasião, a startup se tornou o assunto do momento entre os congressistas e formadores de opinião do mundo online. 

Na sequência, o site começou a crescer exponencialmente e a agregar novas funcionalidades. Primeiro, passou a ser atualizado pela web. Em abril de 2009, O Twitter apresentou a lista de trending topics, que se tornou um dos principais termômetros do mundo online para análise dos assuntos em voga. Em setembro do ano passado, o site passou por sua principal reforma, introduzindo um novo layout com novas possibilidades de interação.

Hoje, estima-se que o Twitter possua 190 milhões de usuários, o que o coloca na nona posição entre os sites mais acessados globalmente, segundo ranking do site Alexa.com. Além disso, o microblog se tornou uma ferramenta de mobilização social, como visto nos protestos contra as fraudes nas eleições iranianas de 2009, e nas recentes revoluções que atingiram países do mundo árabe, como a Tunísia e o Egito.