Testes não apontam novos casos de gripe aviária em Hong Kong

O governo da China pede que as pessoas não visitem mercados que vendam aves em áreas com casos confirmados de gripe aviária

Hong Kong – Testes preliminares indicam que as 17 pessoas que tiveram contato com uma mulher infectada com o vírus da gripe aviária (H7N9) em Hong Kong não foram contaminadas, informou nesta quarta-feira, 04, as autoridades de saúde locais.

Mesmo assim, elas ficarão em quarentena e serão medicadas, por precaução.

O caso é o primeiro a ser registrado na cidade e foi revelado ontem. A mulher, de 36 anos, foi infectada após viajar, no mês passado, para a cidade chinesa de Shenzhen. Ela continua internada em estado crítico.

“Acreditamos que este seja um caso isolado”, disse o secretário de saúde de Hong Kong, Ko Wing-man.

“No momento, não há evidências de que (o vírus H7N9) seja transmitido entre humanos, e o risco de pandemias continua baixo.”

Conforme o secretário, outras 200 pessoas que possam ter tido contato com a mulher infectada serão supervisionadas e precisarão tomar o medicamento Tamiflu.

Este é o 141º caso de gripe aviária em humanos registrado na China, Hong Kong e Taiwan desde abril, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS). Desse total, 45 pessoas morreram.

O governo da China pede que as pessoas não visitem mercados que vendam aves em áreas com casos confirmados de gripe aviária.

Fonte: Dow Jones Newswires.