Siemens oferece 100 vagas de estágio para integrar refugiados

A companhia alemã permite que seus empregados colaborarem com as organizações de ajuda aos refugiados em horário de trabalho

O grupo tecnológico e industrial alemão Siemens vai introduzir um programa sustentável para integrar refugiados no mercado de trabalho, que inclui até 100 vagas de estágio adicionais na companhia.

A Siemens informou nesta terça-feira em comunicado que a companhia já oferece vagas em sua fábrica de Erlangen (Baviera).

A partir de agora, a empresa vai estabelecer em diferentes partes da Alemanha quatro aulas especiais, cada uma com 16 vagas para refugiados, que incluirão cursos de alemão de seis meses em Berlim, Erlangen (Nuremberg), Krefeld (Düsseldorf) e Karlsruhe e uma preparação vocacional.

Além disso, a Siemens prestará serviços e realizará doações por um valor total de 2 milhões de euros.

A companhia alemã permite que seus empregados colaborarem com as organizações de ajuda aos refugiados em horário de trabalho.

A Siemens também vai pôr à disposição instalações para receber os refugiados.

“Siemens e seus empregados já fizeram muito nas últimas semanas para ajudar a cobrir as necessidades imediatas dessa gente que chega”, disse o presidente da companhia, Joe Kaeser.

“Agora queremos aumentar nosso compromisso e realizar uma contribuição a longo prazo para integrar as pessoas”, acrescentou.