Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Serviço permite criar lojas no Facebook

A Like Store quer atrair empresas de portes variados interessadas em vender seus produtos e serviços no Facebook

São Paulo — Criar lojas virtuais dentro das páginas do Facebook. O serviço não é novidade, mas é o que oferece a LikeStore, empresa que começa a explorar o segmento de comércio social no Brasil.

Inicialmente, a empresa vai operar apenas com parceiros estratégicos. Porém, o serviço deve ser ofertado a todos os usuários, dono de médios e pequenos negócios, em breve. “Já estamos em negociação com outras empresas interessadas em ter o seu F-Commerce, como chamamos esse tipo de loja. Agora é o momento para criar parcerias com marcas estratégicas para acostumar o brasileiro à ideia de comprar dentro de uma rede social”, explica Gabriel Borges, diretor da LikeStore e idealizador do serviço.

A primeira empresa a explorar o serviço é a Show de Ingressos, que vai comercializar os ingressos para o show do cantor Jack Johnson, em Recife. A compra funciona da seguinte forma: após acessar a página no Facebook, o usuário seleciona os itens. O pagamento pode ser feito por meio de cartão de crédito ou transferência bancária. As transferências serão realizadas por meio de um widget especial desenvolvido para a aplicação, o Moip.

Segundo Borges, em breve, todos os usuários do Facebook poderão transformar suas fan pages em uma vitrine de produtos, adicionando imagens e descrições de seus produtos. Ao fazer a adição de um item, automaticamente o serviço enviará uma mensagem ao seu mural, notificando a lista de amigos.

Em seguida, qualquer pessoa, contato ou não, poderá acessar a parte do perfil que foi transformada em e-commerce, escolher o que interessa e, sem sair da rede, realizar a compra. Segundo relatório divulgado pela comScore em março, a rede social criada por Mark Zuckerberg possui 17,9 milhões de visitantes únicos no Brasil, contra 32,4 milhões do Orkut, a rede rival do Google. O e-commerce deve movimentar 14,8 bilhões de reais no país em 2011, segundo a eBit.