Amazonas 3 entra em operação para ampliar acesso à internet

O satélite, com custo de US$ 350 milhões,pode transmitir pelas bandas C (33 transponders) e Ku (19 transponders), e também por nove feixes na banda Ka

Rio de Janeiro – A empresa espanhola Hispasat anunciou nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, o início das operações do Amazonas 3, o primeiro satélite com capacidade para oferecer telecomunicações pela banda Ka na América Latina e, consequentemente, a possibilidade de universalizar a internet na região.

O Amazonas 3, posto em órbita em 7 de fevereiro e que estava em fase de testes e ajustes, entrou em operação comercial no início deste mês e oferece diferentes serviços às operadoras.

A Hispasat fez o anúncio em um evento voltado às operadoras de telecomunicação brasileiras no qual foram apresentados os serviços e as possibilidades oferecidas pelo novo satélite do grupo espanhol.

“Todos os serviços que eram oferecidos pelo Amazonas 1, que é o satélite que substituiremos, já foram transferidos ao Amazonas 3, e a capacidade adicional do novo satélite, incluindo a banda Ka, também já está plenamente operacional”, disse à Agência Efe a presidente da Hispasat, Elena Pisonero.

O Amazonas 3 é o décimo satélite colocado em órbita pela Hispasat e o terceiro a ser operado e comercializado pela Hispamar, a subsidiária do grupo no Brasil. O aparelho terá cobertura sobre toda a América Latina e parte dos Estados Unidos.

O novo satélite oferece, além de internet por banda larga, serviços de telecomunicação, difusão de plataformas de televisão e desdobramento de redes corporativas de telefonia fixa e móvel.

O satélite, com custo de US$ 350 milhões, tem capacidade para transmitir pelas bandas C (33 transponders) e Ku (19 transponders), mas também para oferecer telecomunicações por nove feixes na banda Ka, propícia para internet por banda larga em alta velocidade e para serviços interativos e aplicações multimídia.


“É uma banda que nos permite transmitir mais informações em um feixe que se concentra e que pode ser recebido em antenas muito menores. Por essas características, é ideal para o segmento residencial e para oferecer internet em áreas remotas ou de difícil acesso”, segundo Elena.

Essa possibilidade permite à Hispasat oferecer a universalização do acesso à internet por banda larga em toda a América Latina, já que qualquer região, por mais remota que seja, poderá conectar-se à rede mundial de computadores.

Segundo a Hispasat, a capacidade do satélite pela banda Ka já foi praticamente toda contratada. Três dos nove feixes atenderão Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, e os demais oferecerão telecomunicações a Cidade do México (dois), Buenos Aires, Bogotá, Lima e Santiago.

O Amazonas 3, com vida útil de 15 anos, também permitirá às operadoras de televisão via satélite, que representam 61% do mercado da televisão por assinatura no Brasil, transmitir suas imagens em ultra-alta definição (UHDTV).