Samsung: calor na Apple

Uma mudança sutil está em curso no mercado de tecnologia. Até pouco tempo, os resultados trimestrais da Apple eram de longe os mais aguardados do mercado. Agora, é a coreana Samsung que concentra as atenções. A serem divulgados hoje, os resultados do segundo trimestre devem estar entre os melhores dos últimos dois anos.

As estimativas são animadoras: lucro de 6,8 bilhões de dólares, 12,5% a mais que no mesmo período do ano passado, e 40% de aumento na venda de celulares Galaxy S7. O modelo é um sucesso de vendas, com mais entradas para cartões de memória, melhora na ergonomia e no tempo de bateria. No começo do ano, a companhia já havia anunciado lucros 12% maiores que no primeiro trimestre de 2015.

Essas boas notícias eram longamente esperadas dentro da Samsung. Em 2014 e 2015, a companhia viveu anos negros, com as vendas dos Galaxy S5 e S6 muito abaixo do esperado. No período, a Samsung havia perdido o posto de número 1 em mercados emergentes como Índia e China para outros concorrentes, fabricantes de modelos baratos. Mas com a redução dos preços (celulares médios da empresa agora custam entre 100 e 300 dólares nesses países), está novamente conquistando esses mercados — o que se repercute nos lucros.

A Apple, em contrapartida, no primeiro trimestre anunciou a primeira queda no volume de vendas de iPhone da história. E já afirmou que os investidores devem estar preparados para um segundo trimestre também anêmico. Se os resultados da Samsung vierem de fato turbinados hoje, a pressão em Cupertino, sede da Apple, só fará crescer.