Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Religiosos dizem que biochips são a “marca da besta”

A origem está no livro do Apocalipse, que diz que "a marca da Besta" aparecerá "na mão direita ou na testa"

São Paulo – Quem faz uma busca rápida no Google por “biochips” vai perceber: sites e textos que explicam a tecnologia costumam ficar em segundo plano nas pesquisas – a maioria dos resultados são de portais religiosos, que acusam os biochips de serem uma representação diabólica.

A origem está no livro do Apocalipse, que diz que “a marca da Besta” aparecerá “na mão direita ou na testa”.

Para Raphael Bastos, primeiro brasileiro a ter um biochip no corpo, a questão religiosa pode ser um entrave no avanço da tecnologia.

“Já cheguei até a receber ameaças de morte, e pedi autorização para ter porte de armas por isso”, conta. Para o norte-americano Amal Graafstra, dono da loja de biochips Dangerous Things, a discussão pode ser resolvida de forma mais prosaica.

“A marca da besta já foi associada a cartões de crédito e códigos de barra, também, mas se você se preocupa com isso e ainda assim quer ter um chip, é simples: coloque na mão esquerda.”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Felipe Lemos

    Não é religiosos que dizem. Está escrito na Palavra e se está escrito eu creio. Nenhuma ou chip será colocado na minha testa ou mão. Querem proteger as pessoas, coloquem esse chip nos criminosos. Vão poder saber onde estão ao vivo e o que fazem. Vai deixar as pessoas muito mais segurar. Não precisão colocar isso em mim.

    1. Gustavo B. L.

      Sinceramente, você é um analfabeto pouco inteligente, vulgar e medíocre.

    2. O que eu sei meus amigos alfabetizados, descolados e plugados é que toda comunicação, avanços cinetíficos e tecnologia disponíveis hoje não tornaram o mundo um lugar melhor para se viver, apesar de todo esclarecimento anti-religioso, da liberação dos relacionamentos, há mais infelicidade, solidão, depressão e suicídios do que jamais houve, e falo isso em termos relativos e não absolutos, uma vez que a população cresceu não vale dizer que por isso é que há mais casos, me acosto a vc Felipe Lemos.

  2. José Luis Pereira

    Religião o ópio da humanidade.

    1. E tudo o mais que não é religião são outras drogas muito piores, que afetam o mundo cada vez mais terrivelmente, só não vê isso os de mente cauterizada, o que seria melhor para o mundo? Os que são crentes se tornando viciados em crack, ou os que são viciados em crack sendo crentes autênticos?