Pesquisa revela que só 15% dos brasileiros confiam totalmente em empresas de cartão

Números podem ser interpretados como um reflexo do cenário atual, em que nem empresas de grande porte estão a salvo de ataques de cibercriminosos e de vazamentos de dados

Uma pesquisa divulgada nesta semana pela empresa de segurança Fortinet revelou que a maioria dos consumidores do Brasil e da América Latina tem receio de ter suas informações vazadas ou roubadas por um cibercriminoso. Segundo o estudo, apenas 23% dos brasileiros confiam plenamente nos bancos quando o assunto é proteção de dados, enquanto 15% acreditam totalmente nas empresas de cartão de crédito.

Para realizar a pesquisa, a companhia entrevistou 5 000 pessoas de toda a América Latina no decorrer do mês de abril. E entre outras conclusões, os dados ainda revelaram que pouquíssimas delas creem cegamente nas varejistas (6% do total) ou mesmo nos próprios empregadores (14%) na hora de manter informações sensíveis protegidas de invasores.

Os números podem ser interpretados como um reflexo do cenário atual, no qual notícias sobre ataques e vazamentos de dados estão longe de ser incomuns. Só entre 2013 e 2015, por exemplo, foram noticiados alguns dos maiores da história, que atingiram as redes de lojas norte-americanas Target e Home Depot, o site de compras Living Social e a Sony Pictures, afetando algumas centenas de milhões de usuários.

A maior preocupação dos consumidores consultados, porém, ainda envolve os computadores, e não smartphones e outros dispositivos conectados que são parte da Internet das Coisas – e que têm chances iguais ou ainda maiores de serem alvos de ataques.

Mais de 60% das pessoas entrevistadas acham que os notebooks e desktops “representam o maior risco de vazamento de dados”, enquanto apenas 22% veem os celulares como principais causadores de problemas. Por fim, só 2% dos usuários ouvidos acreditam que Smart TVs e outros dispositivos conectados “possam ser vulneráveis”.