Paris-Tóquio pode levar duas horas e meia em Hipersônico

Projeto de jato da Airbus voa acima da atmosfera e usando biocombustível para tirar o avião do chão

Le Bourget – Você gostaria de viajar de Paris a Tóquio em duas horas e meia? Tem saudades dos tempos do Concorde?

O grupo aeroespacial EADS, dono da fabricante de aviões Airbus, acredita ter a resposta para isso: um jato hipersônico que voa sobre a atmosfera, mas decola de uma pista comum.

“Não é um Concorde, mas parece com um, mostrando que a aerodinâmica dos anos 1960 era muito inteligente”, disse Jean Botti, técnico da EADS.

Voando acima da atmosfera e usando biocombustível para tirar o avião do chão, o grupo espera evitar o barulho e a poluição pela qual o Concorde era notório.

“Quando você está sobre a atmosfera ninguém pode ouvir nada”, afirmou Botti.

O avião está sendo desenvolvido em cooperação com o Japão e poderia carregar até cem passageiros. A iniciativa utiliza pesquisa realizada pelo braço espacial da EADS, Austrium.

O projeto, chamado de ZEHST, sigla em inglês para transporte em alta velocidade com emissão zero, se dá no momento em que companhias como a Virgin tem planos para levar turistas em voos espaciais.

Ao contrário da Virgin Galcactic, o ZEHST, segundo a EADS, teria uma velocidade máxima que dispensaria os seus passageiros de um treinamento prévio ao voo.

O avião decolaria com turbinas regulares e depois foguetes o levariam para o voo sobre a atmosfera. O avião chegaria a altitudes de 32 km e viajaria a uma velocidade equivalente a quatro vezes a do som.


“ZEHST não é uma novidade. Essas coisas foram criadas antes”, afirmou Botti. Segundo ele, a empresa pode iniciar demonstrações por volta de 2020.

O chefe da EADS, Louis Gallois, alertou que pode levar de 30 a 40 anos até os voos comerciais se tornarem uma realidade. “Não estamos falando de um produto que vamos lançar nos próximo anos. Temos que ver segurança, integração de tecnologias, como será a reação humana a ele.”