Para reduzir poluição, restaurantes chineses são proibidos de usar lenha

A poluição atmosférica é um dos principais problemas que afetam as cidades chinesas

O governo de Kunming, capital da província de Yunnan (sul da China), proibiu os restaurantes de utilizar lenha para preparar o prato típico da região como parte de seus esforços para reduzir a contaminação do ar.

O Escritório de Proteção do Meio ambiente de Kunming decretou que os restaurantes que servem “chaihuoji” (frango à lenha) não devem fazer uso de madeira, e determinou a substituição por combustíveis mais limpos, informa nesta sexta-feira (13) o site do jornal oficial China Daily.

Kunming segue os passos de Chongqing (centro), pioneira em exigir aos restaurantes que mudassem a maneira de cozinhar seus pratos típicos para reduzir a poluição atmosférica, um dos grandes problemas que afetam às cidades chinesas.

Entre as medidas impulsionadas por Chongqing para reduzir os níveis de emissões poluentes destacam-se a proibição das grelhas ou grades para assar carne ao ar livre.

Em Kunming, dezenas de restaurantes especializados em cozinhar o frango à lenha que abriram suas lojas nos últimos seis meses terão que se adaptar a esta nova legislação, apesar de a maioria não estar informada da medida, acrescenta o jornal.

As autoridades advertiram farão inspeções surpresa e que multas serão aplicadas a todos aqueles que infrinjam a nova regra. Como aliado, o governo terá os moradores que foram convocados a denunciar os que descumprirem as normas.