Paquistão reza por menina prodígio em informática que está em coma há 2 semanas

Arfa ficou famosa por ser a mais jovem do mundo a receber um certificado profissional da Microsoft

Islamabad – O Paquistão reza pela saúde de Arfa Karim Randhawa, uma menina prodígio que ficou famosa por ser a mais jovem do mundo a receber um certificado profissional da Microsoft e que está em coma há duas semanas.

Arfa, de 14 anos, luta para sobreviver após infarto e desde então está internada em um hospital da cidade de Lahore.

A adolescente está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e a fonte, uma médica que não quis ser identificada, se limitou a dizer por telefone que a menina ‘foi internada no dia 22 de dezembro e ainda continua em coma’.

O pai de Arfa, um tenente-coronel aposentado, informou há uma semana à imprensa que sua filha começava a dar sinais de ‘atividade cerebral’, mas continuava em estado crítico.

‘Só um milagre fará minha filha sobreviver’, lamentou em declarações recolhidas pela imprensa local.

Nascida em Faisalabad, cidade da província de Punjab, e estudante do ensino fundamental, Arfa ficou famosa quando se tornou, com apenas nove anos, a pessoa mais jovem do mundo a conseguir um diploma profissional da Microsoft.

A menina paquistanesa chegou a visitar na ocasião a sede da companhia americana e a ser fotografada ao lado do fundador, o bilionário Bill Gates.

No encontro, Arfa fez duas perguntas ao magnata: por que as crianças não podiam trabalhar na Microsoft e por que a empresa contratava tão poucas mulheres.


Depois, a adolescente recebeu a medalha de ouro Fatima Jinnah e um prêmio concedido pelas autoridades paquistanesas para os profissionais das tecnologias da informação, além de ter se tornado embaixadora da marca da companhia pública de telecomunicações paquistanesa PTCL em 2010.

Apesar de ter nascido em uma família humilde, sua insistência fez com que seu pai comprasse um computador quando tinha apenas cinco anos; foi o início de sua meteórica carreira na área de informática.

A notícia da internação da adolescente comoveu o país e inicialmente as previsões dos médicos pareciam muito negativas, apesar da esperança do seu pai.

A onda de solidariedade que o caso provocou também sensibilizou as autoridades paquistanesas, que tentaram prestar apoio à família.

O chefe do Governo da região de Punjab, Shahbaz Sharif, ofereceu ajuda financeira à família, que rejeitou a oferta, segundo o jornal paquistanês ‘Express Tribune’, que não informou o motivo da recusa.

Pessoas próximas da menina continuam mantendo a esperança, além de uma boa parte da população, que busca inspiração em figuras como Arfa para vislumbrarem um futuro melhor para o Paquistão, um país com sérios problemas políticos, econômicos e de segurança.