Ouro cresce em árvore? Cientistas dizem que sim

O ouro extraído das plantas é uma nanopartícula. Isso tem grande potencial para a indústria química, que usa esse tipo de material como catalisador de reações

O dinheiro não cresce em árvores, mas parece que o ouro sim. Uma equipe de cientistas descobriu um método de cultivar e colher ouro de plantas.

A técnica usa plantas para extrair partículas do ouro a partir do solo. Algumas espécies de plantas têm a habilidade de obter elementos químicos por meio de suas raízes e concentrar metais, como o zinco, nas folhas e brotos.

Em entrevista ao LiveScience, Chris Anderson, geoquímico ambiental especialista na técnica pela Universidade Massey (Nova Zelândia), afirmou que é possível obter ouro de plantas de crescimento rápido, como mostarda ou girassol.

Quando as plantas atingem a sua altura máxima, o solo deve ser tratado com produtos químicos que tornam o ouro solúvel. O solo deve ter partículas de ouro. Assim, quando a planta transpira, absorve o ouro do solo e o acumula em sua biomassa.

O ouro extraído das plantas é uma nanopartícula. Isso tem grande potencial para a indústria química, que usa esse tipo de material como catalisador de reações químicas.

O problema é o processo de colheita, pois o ouro não se comporta como um material vegetal. É preciso queimar as plantas em um processo que exige grandes quantidades de ácidos fortes para que o ouro não desapareça. Os riscos ambientais também são altos porque os produtos químicos usados na colheita, como cianeto, são venenosos.