O que a conferência F8 2017 mostrou sobre o Facebook

Conferência para desenvolvedores do Facebook traz uma importante mensagem: empresa deixou de ser uma rede social e é uma gigante da tecnologia

São Paulo – Nesta semana, acontece a conferência para desenvolvedores do Facebook. Na abertura, Mark Zuckerberg, CEO e co-fundador da empresa, falou sobre o que deve ser o foco futuro de toda a sua equipe: realidade aumentada.

Com um discurso de abertura curto e direto, a fala de Zuckerberg transparece algo que pode não ser tão óbvio: o Facebook não é mais apenas uma rede social, mas uma gigante da tecnologia.

Uma enorme evidência é a introdução que Mark Zuckerberg faz para a realidade aumentada. “Alguns de vocês devem ter percebido que nós lançamos algumas câmeras em nossos apps recentemente. Esse foi o primeiro ato. Fotos e vídeos estão ficando mais centrais do que texto no que compartilhamos”, disse.

Você deve ter notado que um nome importante não foi dito aqui: Facebook. Enquanto falava sobre sua visão de futuro do compartilhamento, Zuckerberg tampouco repetiu muitas vezes outras marcas da empresa, como Instagram ou Oculus.

Em sua rápida fala, Zuckerberg falou sobre usos variados que prevê para a realidade aumentada. Entre eles, compartilhamento de informações virtuais em locais físicos, jogos, entre outros.

Ele chegou a especular sobre o fim de produtos como uma televisão–sugeriu que, em vez de comprar uma televisão física, no futuro, compraremos, por um dólar, um app de TV virtual que pode ser “pendurada” na parede de casa. Em suma, Zuckerberg discorreu sobre tecnologia e como ela pode mudar o modo como consumimos–e não somente sobre os impactos em uma rede social, por mais que essa rede seja o Facebook.

Depois do CEO, outros executivos da empresa foram ao palco. Eles explicaram de forma mais detalhada e técnica o que havia sido dito sobre as futuras funcionalidades e usos da realidade aumentada. Mostraram à audiência no que o Facebook anda trabalhando e como tudo vai além de suas redes sociais.

Neste ano, a F8 chega à sua décima edição. Ela, de maneira geral, marca essa transformação do Facebook de uma rede social a uma gigante da tecnologia. Esta décima edição, no entanto, atingiu um marco inédito: Zuckerberg finalmente mudou o foco de sua apresentação e tirou as atenções do Facebook como principal produto da empresa.

Ao longo dos últimos anos, o Facebook vem passando essa mensagem. É, hoje, uma empresa que testa modelos diferentes de conectividade, como o avião Aquila, que faz “chover internet”. Ou então em tecnologias de realidade virtual (vale lembrar que a empresa comprou a Oculus VR por 2 bilhões de dólares).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s