São Paulo – A Microsoft precisa colocar o Windows 10 em mais 800 milhões de dispositivos até 2018. A empresa anunciou nesta semana que o sistema está em mais de 200 milhões de aparelhos, mas sua meta, anunciada em abril do ano passado, é de atingir o número de 1 bilhão de gadgets até 2018.

Lançado em 29 de julho do ano passado, o sistema é o primeiro a vir como uma atualização gratuita para quem tem computadores com Windows 7, 8 ou 8.1 em casa. Com isso, o software já conseguiu números 400% maiores do que os do Windows 8, de acordo com Yusuf Mehdi, vice-presidente corporativo do Windows e do grupo de dispositivos na Microsoft.

Entre os novos aparelhos com o sistema, o Xbox One foi o que puxou para cima os números de ativações.

Em 2015, a Microsoft anunciou que o Windows passaria a ser um sistema único em computadores, tablets, celulares e no Xbox.

Apesar de 200 milhões ser um número bom para os poucos meses do Windows 10 no mercado, ainda não se sabe se isso vai mudar o cenário atual do software da Microsoft. "Isso é o suficiente para acreditar que o Windows conseguiu uma virada? Não, mas é um sinal positivo de que ele está na direção certa", afirmou Mark Moerdler , analista da Sanford Bernstein & Co, em entrevista à Bloomberg

Entre outros esforços para promover o Windows 10, a Microsoft lançou no final do ano passado novos smartphones, um tablet e um laptop no mercado americano.

Outra medida que a empresa tomará para estimular a adoção do novo sistema será mudar a categoria da atualização para "recomendadas".

Tópicos: Computadores, Microsoft, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Tablets, Windows